Janot indica “fartos elementos de prova” em resposta a Temer

Durante seu pronunciamento hoje (27), o presidente criticou a denúncia apresentada pelo procurador e a validade das provas

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, divulgou nota à imprensa na qual afirma que cumpre “à risca o comando constitucional” e que ninguém está acima da lei.

A manifestação foi motivada pelas declarações dadas pelo presidente Michel Temer em pronunciamento na tarde desta terça-feira (27).

Em seu discurso, Temer criticou a denúncia apresentada por Janot e a validade das provas, entre elas a gravação da conversa com o empresário Joesley Batista, classificada pelo presidente como ilícita.

“Rodrigo Janot cumpre à risca o comando constitucional de que ninguém está acima da lei ou fora do seu alcance, cuja transgressão requer o pleno funcionamento das instituições para buscar as devidas punições. Se assim não fosse, não haveria um Estado Democrático de Direito”, diz a nota.

Na manifestação, Janot diz ainda que a denúncia apresentada contra Temer é composta por provas colhidas durante à investigação e segue a tramitação prevista na Constituição.

“A denúncia é pública e baseada em fartos elementos de prova, tais como laudos da Polícia Federal, relatórios circunstanciados, registro de voos, contratos, depoimentos, gravações ambientais, imagens, vídeos, certidões, entre outros documentos, que não deixam dúvida quanto à materialidade e a autoria do crime de corrupção passiva. A peça foi submetida à análise do Supremo Tribunal Federal e seguirá o trâmite previsto na Constituição Federal”.

Sobre as declarações do presidente Temer a respeito do ex-procurador da República Marcello Miller, que deixou o Ministério Público para atuar em um escritório da advocacia que trabalhou no acordo de leniência do Grupo JBS, a PGR informou que ele não atuou enquanto procurador no acordo de delação premiada que gerou a investigação contra o presidente.

“Ele integrou a Assessoria Criminal do procurador-geral da República de setembro de 2013 a maio de 2015. De maio de 2015 a julho de 2016, ele foi designado para integrar o Grupo de Trabalho da Operação Lava Jato na PGR, em Brasília. A partir de 4 de julho de 2016, ele voltou a ser lotado na PR-RJ, com processos distribuídos ao seu ofício, atuando junto ao Grupo de Trabalho somente como membro colaborador”, disse.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ciro Lauschner

    Janot é uma pessoa extremamente perigosa e falsa. Ele persegue com uma eficiência espantosa aos desafetos do seu PT, usando de todo seu poder de fato e também o de influenciar outros órgãos, como a ala esquerda da PF e os esquerdistas do MPF e PGR, que são ampla maioria.E como todo petista, seus “acertos” não são crimes, são para o bem comum, agora para “combater a corrupção”. Miller e a filha dele não são apenas ilações, são fatos.

  2. Claudio Stainer

    A peça do Janot é vazia e a atuação do Procurador Miller é uma baita vergonha. Assistimos fogo contra fogo. Sem Prova da Existência do Crime e Indícios Suficiente da Autoria- PECISA, a denúncia não é aceita. A armadilha para envolver o Presidente é uma pouca vergonha de quem a fez: um procurador e uma delegada.

  3. Claudio Stainer

    Por onde anda a outra metade da delação dos marginais Ley? Só o Janot sabe.

  4. Jose Pereira Brito Flho

    O Michel Vampiro temer está com a mesma ladainha do Fernandinho Globo Collor , quando a batata assa joga para os lados , os adeptos do Aécio ficam jogando falácias aos ventos , como se o Janot fosse PT , esqueceram quando que o Janot ajudou a Dilma ? se liguem e parem de escrever asneiras !

  5. A partir do momento que a PGR precisa emitir nota, algo pode estar errado, o Sr. Janot ainda não percebeu que conceder imunidade total aos maiores corruptores do Brasil foi um tiro que saiu pela culatra, alem disso, envolver um ex- procurador num acordo que favoreceu a JBS, tudo isso depõe contra essa denúncia.

  6. Manoel Schepp

    Temer falou que foi Deus que o colocou na presidência. Deus escreve o certo por linhas tortas: foi para matar organização criminosa PSDB e nos livrarmos deste monstro corrupto que é PMDB!