Já fiz minha parte, diz Lula sobre volta à Presidência

Ex-presidente voltou a negar que vá concorrer a cargos eletivos no próximo ano e reiterou que vai ser cabo eleitoral da presidente Dilma

São Paulo – Ao ouvir de uma plateia de professores na noite desta sexta-feira, 18, pedidos para voltar à Presidência da República, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a negar que vá concorrer a cargos eletivos no próximo ano e reiterou que vai ser cabo eleitoral da presidente Dilma Rousseff. “Tem tempo de concorrer e tempo de parar. Já fiz minha parte, cumpri a tarefa que vocês me delegaram”, disse.

“Agora temos uma outra tarefa, quero com vocês ser apenas um bom cabo eleitoral nas próximas eleições”, completou Lula. “Eu não fui eleito presidente pela ajuda da televisão, nem pela ajuda de nenhum jornal, fui eleito pela perseverança de vocês”, declarou à plateia.

O ex-presidente alfinetou a ex-ministra Marina Silva, que criticou o governo do PT por ser negligente com o tripé macroeconômico. “Eu tinha uma frustração na minha vida. Tinha vontade de ser economista. Achava chique ser economista, porque economista sabe tudo quando está na oposição”, disse Lula. “Agora estou vendo até uma candidata falar em tripé”, ironizou o ex-presidente, em referência à recente crítica de Marina de que o governo havia deixado de lado o tripé macroeconômico, formado por câmbio flutuante, regime de metas de inflação e geração de superávit primário.

A presidente Dilma Rousseff respondeu às críticas feitas por Marina nesta semana em evento em Salvador, quando afirmou que “a inflação está sob controle, as contas públicas (estão) absolutamente sob controle (…) Por isso, queridos, o tripé nunca foi abandonado”. Um dia antes, no Recife, Marina Silva afirmou que as dificuldades econômicas enfrentadas “também têm a ver com alguma negligência que vem sendo praticada em função da ansiedade política do governo, que está fragilizando a economia” e defendeu a necessidade de manutenção do tripé e da independência do Banco Central.

Em evento organizado pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), em um clube, na zona norte da capital paulista, Lula criticou: “Agora estou vendo até uma candidata falar em tripé, porque é preciso consertar o tripé. Pode? Eu acho fantástico como economista é um bicho sabido”. As críticas à condução da política econômica, feitas recentemente por Marina Silva, que se filiou ao PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, também são o principal discurso de outro possível adversário de Dilma na campanha de 2014: o senador tucano Aécio Neves (PSDB-MG). “Como eu não pude ser (economista) porque as condições não me permitiram e o Zé Alencar também tinha vontade de ser e não pode ser, a gente tentou fazer os investimentos porque entendíamos que era a solução de transformar o Brasil numa grande nação”, disse Lula.