Irã nega censura a livros de Paulo Coelho

Autoridades afirmam que não há qualquer tipo de veto às publicações do autor

Brasília – Autoridades do governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, informaram hoje (13) ao Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty, que os livros do escritor Paulo Coelho estão liberados. As autoridades negaram qualquer tipo de veto às publicações do autor. Segundo Coelho, o editor de seus livros no Irã, Arash Hejazi, informou sobre o veto. No Brasil, houve reações e críticas.

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, solicitou oficialmente informações sobre a proibição dos livros de Paulo Coelho. Até ontem (12) à noite, o Itamaraty aguardava informações, que foram remetidas na manhã de hoje. O escritor, no seu blog internacional, agradeceu a mobilização do governo brasileiro em favor das suas obras.

“Aproveito a oportunidade para agradecer ao governo brasileiro – o Ministério da Cultura, o Ministério de Relações Exteriores e a presidenta Dilma Rousseff – pelo apoio firme e decisivo durante todo o processo. Foi mais decisivo do que imaginam”, disse Coelho, no seu blog hoje.

Desde ontem, o escritor disponibilizou, no blog, links para a leitura de oito de seus livros em farsi (persa) – que é o idioma no Irã. O anúncio de veto às obras de Coelho fez com a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, tomasse à frente do caso e pedisse providências para evitar o veto.