Internos da Fundação Casa libertam funcionários reféns

Segundo a instituição, os internos usaram como armas pedaços de madeira de mesas e cadeiras que foram quebradas durante a rebelião. Colchões foram queimados

São Paulo – Internos da unidade de Franco da Rocha da Fundação Casa, na Grande São Paulo, libertaram oito funcionários que foram feitos reféns em uma rebelião que durou cerca de duas horas. O motim teve início por volta das 8h de hoje (3), quando houve uma tentativa de fuga de um grupo de adolescentes. Os reféns foram liberados após negociação da diretoria da unidade com os internos.

De acordo com a Fundação Casa, dois reféns apresentaram ferimentos leves e foram encaminhados para atendimento em um pronto-socorro da região.

Segundo a instituição, os internos usaram como armas pedaços de madeira de mesas e cadeiras que foram quebradas durante a rebelião. Colchões foram queimados na porta dos dormitórios. De acordo com a Fundação Casa, um grupo de apoio da unidade cercou o complexo para impedir a saída dos adolescentes e a Policia Militar acompanhou a ação a distância.

A unidade de Franco da Rocha tem capacidade para 69 internos e atualmente abriga 60 adolescentes, que são vigiados por funcionários desarmados. Por questões de segurança, a entidade não informa o número de funcionários que trabalham no local.

A Fundação Casa informou que será aberta uma sindicância para apurar a ocorrência e verificar quem participou da rebelião. Os resultados devem ser apresentados em 90 dias. Os envolvidos poderão receber sanções que vão da redução do horário de visitas, normalmente quatro horas por final de semana, ao cancelamento da saída para atividades, como visitas a museus e competições esportivas.

No momento, agentes fazem a revista geral e inspecionam as instalações da unidade.