Internado, Cid Gomes pede adiamento de convocação à Câmara

A convocação do ministro havia sido aprovada na quarta-feira para esclarecer a declaração de que há "400, 300 achacadores" na Casa

São Paulo – O ministro da Educação, Cid Gomes (PROS-CE), entregou um pedido de adiamento da ida dele à Câmara dos Deputados para prestar esclarecimentos sobre a declaração de que há “400, 300 achacadores” na Casa. A convocação do ministro havia sido aprovada na quarta-feira, 4.

Segundo a assessoria de imprensa, Cid está internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, desde essa terça, 10, pela manhã.

As temperaturas negativas que enfrentou em viagem aos Estados Unidos, onde participou de evento da Universidade Yale no fim de semana, teriam feito com que já chegasse doente ao Brasil.

A assessoria também informa que, por conta do estado de saúde, Cid já havia cancelado participação em evento em Santo André, em São Paulo, na segunda-feira, 9.

A decisão de interná-lo teria partido dos médicos, que agora conduzem uma bateria de exames.

A presidência da Câmara foi informada oficialmente da ausência de Cid nesta manhã, por meio de um ofício assinado pelo ministro interino da Educação, Luiz Cláudio Costa.

Nos corredores da presidência, falava-se na noite de ontem que Cid não viria, mas sem confirmação.

“Em razão de o Ministro Cid Ferreira Gomes ter sido acometido de doença que provocou sua internação (…) sem definição a respeito da respectiva alta médica, ele não poderá comparecer à convocação”, diz trecho do documento, que não esclarece qual é a doença do ministro da Educação nem seu estado de saúde.

No ofício, Costa solicita agendamento de uma nova data para o ministro “prestar os esclarecimentos solicitados pelo Plenário da Câmara dos Deputados”.