Índios fazem novo protesto no Rio

Grupo indígena disse que pretendia fazer uma "atividade cultural" dentro do museu, mas, quando chegou ao imóvel, constatou que ele estava fechado

Rio de Janeiro – Cerca de 15 índios que integravam o grupo expulso da área do antigo Museu do Índio, nas imediações do Maracanã, zona norte do Rio, na última sexta-feira, promoveram um protesto na tarde desta terça-feira na porta do prédio que atualmente abriga o museu, em Botafogo (zona sul).

O grupo indígena conta que pretendia fazer uma “atividade cultural” dentro do museu, mas, quando chegou ao imóvel, constatou que ele estava fechado. Na noite do último sábado os índios haviam ocupado esse prédio, de onde saíram pacificamente horas depois. Segundo os índios, a direção do museu decidiu fechá-lo com medo de uma nova invasão.

A ONG Justiça Global pediu à Organização das Nações Unidas (ONU) que investigue os supostos abusos cometidos pela Polícia Militar e pela Guarda Municipal na retirada dos manifestantes que ocupavam o prédio vizinho ao estádio do Maracanã. Um documento entregue à ONU na última sexta-feira denuncia uma série de arbitrariedades, como o uso indiscriminado de spray de pimenta e de bombas de efeito moral pela polícia, além de prisões injustificadas de pelo menos seis manifestantes.