Incêndio em São Paulo: fotos e vídeos mostram tamanho da tragédia

As chamas começaram por volta das 1h30 no prédio localizado na região do Largo do Paissandu e o fogo se espalhou rapidamente pelo resto dos andares

São Paulo — Um incêndio de grandes proporções fez um prédio de 24 andares desabar na região do Largo do Paissandu, no Centro de São Paulo, na madrugada desta terça-feira.

Os bombeiros disseram “não confirmar o número de vítimas”. Ao menos quatro pessoas estão desaparecidas, entre elas um homem que era resgatado no momento do desabamento do prédio. O local estava ocupado de maneira irregular por dezenas de famílias desabrigadas.

As chamas começaram por volta das 1h30 e o fogo se espalhou rapidamente pelo resto dos andares. Além do prédio, que já foi sede da Polícia Federal, outros edifícios foram afetados pelas chamas, como a Igreja Martin Luther, inaugurada em 1908.

Fotos e vídeos feitos no momento do desabamento mostram o tamanho da tragédia:

Incêndio no Centro de São Paulo Incêndio no Centro de São Paulo

Incêndio no Centro de São Paulo (Leonardo Benassatto/Reuters)

O edifício de 24 andares desabou durante um incêndio de grandes proporções no Largo do Paissandu, no centro de SP Incêndio no Centro de São Paulo

Incêndio no Centro de São Paulo (Leonardo Benassatto/Reuters/Reuters)

Incêndio no Centro de São Paulo

Incêndio no Centro de São Paulo (Leonardo Benassatto/Reuters/Reuters)

Incêndio no Centro de São Paulo

Incêndio no Centro de São Paulo (Leonardo Benassatto/Reuters/Reuters)

Incêndio no Centro de São Paulo

Incêndio no Centro de São Paulo (Leonardo Benassatto/Reuters/Reuters)

Tragédia prevista

O governador de São Paulo, Márcio França, afirmou que o desabamento do edifício era uma tragédia “prevista” devido às más condições, mas ressaltou a batalha “judicial” existente para tentar retirar as pessoas que vivem nesse tipo de prédios.

“Esse tipo de imóvel é inabitável. Ficar aqui é buscar um problema cada vez maior. Graças a Deus, hoje conseguimos chegar a tempo, mas nem sempre vai acontecer isso”, ressaltou França desde o local do incêndio. Ele lembrou que São Paulo conta com mais de 150 edifícios ocupados, pelo menos dez no centro da capital paulista.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou que o trabalho de remoção dos escombros vai levar pelo menos uma semana. Segundo ele, o prédio pertencia à União e 150 famílias já estavam cadastradas junto à Secretaria da Habitação. 25% eram estrangeiros.

Covas também afirmou que não cabe à Prefeitura retirar as pessoas do local. O pedido de reintegração de posse tem que ser feito pelo dono do prédio.

Neste momento, segundo Covas, 71 famílias já foram atendidas pela Secretaria de Assistência Social e 191 pessoas já foram encaminhadas para abrigos. Elas vão receber água e alimentação.

De acordo com a prefeitura, 8 prédios do entorno têm ocupações. Segundo o prefeito, em toda a cidade de São Paulo há pelo menos uma centena de prédios invadidos. Ele reforçou que a Prefeitura tenta desestimular as ocupações irregulares.