Hoteis dizem que não abusarão do preço em eventos esportivos

Em reunião com o ministro do Turismo ficou acertado que serão monitorados preços das diárias nas cidades-sede das competições e informações serão repassadas ao ministério

Brasília – Empresários do setor hoteleiro firmaram hoje (1º) compromisso com o governo para trabalhar em conjunto de modo a harmonizar as tarifas. Eles prometem que não vai haver abusos de preços durante a Copa do Mundo e a Olimpíada. Pesquisa publicada ontem (31) mostrou que está havendo aumento abusivo nas diárias dos hotéis.

Em reunião com o ministro do Turismo, Gastão Vieira, ficou acertado que serão monitorados periodicamente os preços das diárias nas cidades-sede das competições e as informações serão repassadas ao ministério.

Vieira informou que, até o fim deste mês, pretende visitar as cidades onde haverá jogos, acompanhado de empresários. “O governo não vai permitir que sejam cobrados preços acima da realidade de mercado e para a peculiaridade do momento dos eventos”. Disse. Segundo ele, os preços deverão seguir os mesmos padrões cobrados em vários lugares que já sediaram outros eventos.

Ele lembrou que o setor do turismo trabalha com visão de longo prazo e a meta do Plano Nacional de Turismo previsto para até 2022 é que o Brasil se torne a terceira economia turística do mundo e por isso não pode “criar fama” de que cobra preços altos. “Estamos atentos à meta e vamos mostrar que somos capazes de sair desses eventos mantendo os hotéis e arenas atrativas para os turistas do mundo inteiro”, prometeu.


O presidente do Forum dos Operadores Hoteleiros do Brasil, Roberto Rotter, sustentou que não houve tabelamento de preços no setor hoteleiro. Segundo ele, a pesquisa apresentada ontem gerou polêmica, mas a intenção dos operadores é fazer um trabalho conjunto com a Embratur e o Ministério para depurar melhor os dados e discuti-los com com os segmentos do setor produtivo. “Também nos preocupa a capacitação e o desenvolvimento do setor”, disse. O empresário lembrou que há contratos firmados com empresas organizadoras de eventos desde 2007.

Segundo Rotter, nenhum hoteleiro vai querer manter seus estabelecimento vazio, por isso os valores deverão ser ponderados. Assinaram termo de compromisso com o Ministério do Turismo, além do Forumdos Operadores, a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira, a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação e a Resorts Brasil.