“Há grande preconceito contra médicos cubanos”, diz Dilma

A presidente lembrou que, além de cubanos, há médicos de outras nacionalidades

São Paulo – A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta quarta-feira, 28, em entrevista a rádios de Belo Horizonte, a vinda de médicos estrangeiros para o Brasil e criticou o que chamou de preconceito contra os profissionais cubanos.

“É um grande preconceito contra os cubanos. O que não é correto é supor que em algum país há um bloqueio à vinda de profissionais especializados para ajudar o país”, disse Dilma. A presidente lembrou que, além de cubanos, há médicos de outras nacionalidades.

Dilma comentou a diferença de pagamento no caso dos médicos de Cuba e disse que parte do dinheiro pago a eles vai para as famílias. A presidente lembrou que em outros países o porcentual de médicos estrangeiros é maior que no Brasil.

“Nos Estados Unidos, 25% dos médicos são estrangeiros. No Brasil, são menos de 2%”. Dilma ainda completou dizendo que seu governo fará “o que for possível, dentro da lei, para levar médicos a toda a população”.

Segundo a presidente, os cubanos que chegam ao Brasil vão trabalhar segundo um padrão internacional para missões humanitárias. Dilma não descartou a possibilidade de esses médicos ficarem no País após o fim do prazo do contrato do Mais Médicos, desde que façam os exames necessários.