Governo reconhece emergência em cidades de Alagoas e Pernambuco

Cerca de R$ 30 milhões devem ser destinados às cidades afetadas pelas chuvas

O Diário Oficial da União traz publicadas, na edição de hoje (31), portarias do Ministério da Integração Nacional em que reconhece a situação de emergência em municípios de Alagoas e de Pernambuco devido aos danos causados pela chuva.

Estão na lista da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Social as cidades pernambucanas de Água Preta, Amaraji, Barra de Guabiraba, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Gameleira, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão e Rio Formoso.

Em Alagoas, fazem parte da portaria os municípios de Atalaia, Barra de Santo Antônio, Cajueiro, Capela, Chã Preta, Colônia Leopoldina, Coruripe, Coqueiro Seco, Igreja Nova, Japaratinga, Joaquim Gomes, Murici, Paulo Jacinto, Paripueira, Pilar, Quebrangulo, Rio Largo, Satuba, São Luiz do Quitunde, São Miguel dos Campos, Santa Luzia do Norte, Jacuípe, Jundiá, Viçosa e União dos Palmares.

Recursos

O reconhecimento do estado de emergência foi pauta do encontro ontem (30), em Brasília, entre os governadores de Alagoas, Renan Filho, e de Pernambuco, Paulo Câmara, com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.

O aporte financeiro poderá ser liberado ainda esta semana, de acordo com o ministério. Cerca de R$ 30 milhões devem ser destinados às cidades afetadas como parte do apoio federal.

Entre as ações previstas estão recursos para a instalação de hospitais de campanha do Exército, aquisição de kits de ajuda humanitária, auxílio às famílias desabrigadas, contratação de maquinários para limpeza das vias públicas e ações de recuperação de danos nas regiões mais afetadas pelas fortes chuvas.

O grande volume de chuva que atingiu Pernambuco no fim de semana causou enchentes e transtornos em mais de 20 municípios e afetou também o sistema de abastecimento de água do estado. Na capital alagoana, Maceió, a forte chuva provocou mortes por soterramento e deixou centenas de pessoas desalojadas.