Gilmar Mendes manda soltar doleiro preso na Operação Câmbio, Desligo

Ministro concedeu liberdade, nos últimos 30 dias, a 20 presos investigados em desdobramentos da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes mandou soltar hoje (5) mais um doleiro preso no mês passado pela Polícia Federal (PF) na Operação Câmbio, Desligo. Na operação, a PF investiga esquema de corrupção que atuava, por meio de doleiros, no Rio de Janeiro.

Desta vez, por determinação do ministro, o doleiro Antônio Claudio Albernaz Cordeiro poderá cumprir medidas cautelares diversas da prisão, como proibição de deixar o país e de manter contato com outros investigados.

“O perigo que a liberdade do paciente representa à ordem pública ou à aplicação da lei penal pode ser mitigado por medidas cautelares menos gravosas do que a prisão”, argumentou o ministro.

Liberdade a 20 presos

Com o habeas corpus concedido ao doleiro, Mendes concedeu liberdade, nos últimos 30 dias, a 20 presos por ordem do juiz Marcelo Bretas em investigações relacionadas aos desdobramentos da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.

A Operação Câmbio, Desligo desarticulou um esquema de movimentação de ilícitos no Brasil e no exterior. As operações eram do tipo dólar-cabo, uma forma de movimentação paralela, sem passar pelo sistema bancário, de entrega de dinheiro em espécie, pagamento de boletos e compra e venda de cheques de comércio.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), a atuação de doleiros foi necessária para operacionalizar recursos desviados durante a gestão de Sérgio Cabral no governo do Rio de Janeiro.