Gestão Doria nega mudança em integração de ônibus em SP

SPTrans esclarece boatos de que a regra de integração do Bilhete Único estaria mudando sem o conhecimento da população

São Paulo –  Nos últimos dias, relatos nas redes sociais têm questionado se as regras de integração entre ônibus estariam mudando na cidade de São Paulo, sob a administração de João Doria, sem informar a população.

Nos relatos, passageiros dizem que estão sendo cobrados duas vezes com o preço cheio da passagem antes do fim do período de integração (que dura três horas), em momentos que a viagem deveria ser gratuita.

Segundo o post, um cobrador teria falado de um “boato interno” de que a gestão Doria teria planos para mudar as regras do Bilhete Único para que o trajeto agora fosse identificado como sentido bairro-centro ou centro-bairro, impedindo as viagens de “bate e volta” cobradas apenas uma vez.

EXAME entrou em contato com a SPTrans, autarquia responsável pelo transporte público via ônibus. Em nota, o órgão afirmou que “não existe qualquer mudança nas regras de integração do Bilhete Único. Os usuários que pagam a tarifa de 4 reais continuam tendo direito a embarcar em até quatro veículos diferentes durante o período de três horas, independente do sentido da viagem”.

Quem usa vale-transporte ou paga meia tarifa de estudante pode usar até quatro viagens em duas horas. É preciso aguardr 30 minutos para usar o mesmo tipo de crédito em um mesmo ônibus e linhas de bloqueio do metrô ou CPTM.

O único caso em que a passagem é cobrada duas vezes é quando a pessoa passa o bilhete exatamente no mesmo ônibus (quando duas pessoas viajando juntas usam o mesmo bilhete único, uma depois da outra, por exemplo). Pode acontecer de o passageiro pegar o mesmo ônibus no trajeto de ida e de volta.

Se não for esse o caso, a orientação da SPTrans é que a pessoa anote a linha, o prefixo do ônibus, se possível, reúna o máximo de informações possível sobre a ocorrência e entre em contato por algum dos canais de atendimento: Twitter, Instagram, no próprio site da SPTrans ou pelo 156, canal de solicitação de serviços da Prefeitura.