Garotinho resiste à transferência para Bangu; veja vídeo

O ex-governador do Rio de Janeiro estava no hospital Souza Aguiar, no centro da capital, e chegou a chutar um funcionário para não ser levado para Bangu

O ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR) resistiu à transferência para o presídio de Bangu, na noite desta quinta-feira, 17.

Imagens divulgadas pela TV Globo mostram Garotinho deitado numa maca do Hospital Souza Aguiar, no centro, e relutando para entrar na ambulância. Ele levanta o tronco e é contido por um enfermeiro. Garotinho chega a chutar o funcionário para não ser colocado no veículo.

Sua mulher, Rosinha Garotinho, prefeita no município de Campos, no Norte Fluminense, e sua filha Clarissa Garotinho, deputada federal, aparecem à porta da ambulância tentando evitar a transferência.

O juiz Glauce Oliveira, da 100ª Zona Eleitoral do Rio de Janeiro, em Campos, determinou nesta noite a transferênciaimediata dele para o presídio Frederico Marques, no complexo penitenciário de Bangu. Às 21h45, um oficial de Justiça e policiais federais estavam no Hospital Souza Aguiar para iniciar o traslado, segundo o advogado dele, Fernando Fernandes.

O juiz eleitoral, que na quarta-feira havia determinado a prisão de Garotinho sob acusação de comprar votos, escreveu na decisão desta quinta que tomou conhecimento de que o ex-governador “está recebendo diversas regalias no Hospital Souza Aguiar”.

Garotinho foi transferido para a unidade de saúde às 18h15 de quarta-feira, após reclamar de crise hipertensiva enquanto aguardava, na sede da Polícia Federal (PF) no Rio, transferência para a PF em Campos.

“Nenhum preso tem direito a qualquer regalia ou tratamento diferenciado, seja em unidade prisional ou hospitalar, situação que a par de ferir a isonomia constitucional constitui, em tese, crime para quem presta a referida regalia. Mostra-se imperioso fazer cessar quaisquer regalias que o réu possa estar recebendo”, escreveu o juiz na decisão desta quinta.

Ao determinar a transferência para Bangu, Oliveira afirma que “o referido complexo penitenciário é provido de uma Unidade de Pronto Atendimento e, segundo foi informado pelo diretor do sistema penitenciário, naquela unidade prisional é possível realizar o tratamento adequado”. No presídio Frederico Marques, o ex-governador deve ser submetido à dessensibilização, procedimento preparatório para outro exame, que será feito em um hospital público em data a ser agendada.

“Realizada a dessensibilização, o custodiado deve ser encaminhado ao Hospital Aloysio de Castro para que lá seja internado com objetivo de realizar o exame descrito. Com o resultado do exame, poderá ser proferida nova decisão decidindo o local onde o réu ficará custodiado”, determinou o juiz. Aloysio de Castro é o nome oficial do Instituto Estadual de Cardiologia, situado no Humaitá (zona sul do Rio).

O advogado de Garotinho criticou o juiz pela ordem de transferência, feita, segundo ele, sem autorização dos médicos: “É lastimável um juiz ultrapassar protocolos médicos e usar a força para retirar um paciente de um hospital. Jamais se viu decisão tão prepotente, arbitrária e desumana”, afirmou.

Prisão

Garotinho foi preso às 10h30 de quarta-feira por policiais federais em um apartamento na Rua Senador Vergueiro, no Flamengo (zona sul do Rio).

A prisão preventiva (sem data para terminar) foi parte da Operação Chequinho, que investiga o uso do programa Cheque Cidadão, do município de Campos, para obter apoio eleitoral.

Garotinho é secretário de Governo de Campos, cidade governada pela mulher dele, a ex-governadora Rosinha Garotinho, também do PR.

Antes da eleição de 2016, quase 20 mil moradores da cidade teriam ganho irregularmente o benefício, em troca de votos.

Enquanto esperava a transferência para Campos, onde ficaria detido na sede da Polícia Federal, Garotinho afirmou estar com crise hipertensiva e acabou transferido para o Souza Aguiar.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde negou que Garotinho tenha recebido regalias no Hospital Souza Aguiar. (Roberta Pennafort e Fábio Grellet)

Veja o vídeo da VEJA.com com o momento do tumulto:

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. hildelano delanusse theodoro

    Campos é um lixo de cidade. Poucas pessoas de bem.

  2. ViP Berbigao

    O gayrotão tá assim pq esqueceram o ursinho de pelúcia dele. Q povo malvado!!! Juiz Malvado!!! Polícial insensível!!! kkkk

  3. Gustavo Amilton Jorge

    Na hora de luxar com dinheiro público é gostoso… lugar de ladrão é na cadeia… que papelão hahaha

  4. José Roberto De Souza

    Que gracinha de garotinho de maminhas de fora!Comprando votos com benefício públicos… depois não quer apanhar.Leve para o castigo e coro na sua bunda, e leve também a garotinha com a filha, família de malandros deve permanecer unida na cadeia.

  5. Kkkkkkkkkkkkkkkk MORTOOOO não é bandido ahan… 😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂

  6. João Queiroz

    Solta o garotinho ele é de menor kkkkkkk

  7. Leandro Ruckl

    Quantas pessoas morreram no hospital porque o hospital não teve recurso, esse recurso, as vezes por pouca coisa, mas para a pessoa que foi no hospital era muito, esse recurso, que foi gasto em vestidos (+-56000,00), entre outras extravagâncias, ROUBADOS DOS NOSSOS IMPOSTOS. Agora se fazem de coitada, “fez o erro, assuma as consequências”, quantas pessoas morrem, porque falta dinheiro, dinheiro, roubado, para extravagâncias. E antes nada acontecia, agora, “eu não sei, ainda”.

  8. ABRAÃO LINCOLN SALES BASTOS

    MENININHO BIRRENTO, hein? Quero ver ele fazer esta caninha com os futuros colegas de cela de Bangü

  9. Alexandre Gonçalves

    Vai vagabundos mete a mão no dinheiro público aí da um de coitado,se a filha tá com do tá na cadeia também. Vagabundos

  10. Como e’ que os policiais tem coragem de por as maos nisso? Que nojo!

  11. Adriano Vitorio

    Tinha que dar um bico para o garotinho. Kkk