Funcionários da CVM fazem ato na sede da comissão, no Rio

Embora não tenham aderido à greve geral, funcionários protestaram contra a reforma da Previdência

Rio – Os servidores da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) fizeram nesta sexta-feira, 28, um ato na sede da autarquia que regula o mercado de capitais brasileiro, no centro do Rio. Embora não tenham aderido à greve geral, eles protestaram contra a reforma da Previdência.

O Sindicato Nacional dos Servidores da CVM (SindCVM) avalia que a proposta que está no Congresso altera regras no meio do jogo ao frustrar a legítima expectativa de direitos de aposentadoria dos funcionários públicos.

“Sem ignorar os evidentes defeitos do modelo atual de Previdência Social no Brasil, não podemos aceitar sermos postos como bodes expiatórios de um sistema de privilégios e corrupção que, em realidade, procuramos combater em nossas atividades cotidianas. (…) não podemos aceitar que se faça demagogia à custa do servidor público”, diz o sindicato, em nota divulgada em seu portal.

O vice-presidente do SindCVM, Noé Madureira, diz que a maior preocupação é com a mudança da fórmula de cálculo da aposentadoria e com a falta de isonomia entre as categorias.

“Esqueceram de categorias como os militares, que contribuem quase na mesma proporção que os servidores para o déficit da Previdência. A conta maior vai ser paga pelos servidores civis da União”, diz.