Frases polêmicas do candidato Jair Bolsonaro

Declarações do presidenciável levantaram movimentos contrários à sua candidatura, como "Mulheres Contra Bolsonaro" e #EleNão #EleNunca

A justificativa da tortura durante o regime militar (1964-1985) e o desprezo pelas reivindicações por igualdade sexual e racial são constantes do candidato Jair Bolsonaro, favorito no primeiro turno nas eleições para a presidência.

Confira algumas de suas declarações:

Tortura e direitos humanos

– “O erro da ditadura foi torturar e não matar” (entrevista à rádio Jovem Pan, junho de 2016)

– “No período da ditadura, deviam ter fuzilado uns 30 mil corrutos, a começar pelo presidente Fernando Henrique, o que seria um grande ganho para a Nação” (maio de 1999, declarações difundidas pela TV Bandeirantes.)

– Na sessão da Câmara de abril de 2016, quando votou a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, Bolsonaro dedicou seu voto ao coronel Brilhante Ustra, que na ditadura militar chefiou o DOI-Codi (serviços de inteligência e de repressão, acusado de cometer pelo menos seis assassinatos sob tortura). “Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff”, disse Bolsonaro.

– “Vamos fuzilar a petralhada aqui do Acre”, disse em comício no dia 1º de setembro em Rio Branco. Logo depois, sua assessoria declarou que “foi uma brincadeira, como sempre”.

Maiorias, minorias, Estado laico

– “Deus acima de tudo. Não tem essa historinha de Estado laico não. O Estado é cristão e a minoria que for contra, que se mude. As minorias têm que se curvar para as maiorias” (encontro na Paraíba, fevereiro de 2017).

Negros

– “Eu fui num quilombo em Eldorado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles” (Em palestra no Clube Hebraica, abril de 2017).

– “Ô Preta, eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco porque meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu” (À cantora Preta Gil, quando questionado sobre o que faria se seu filho se apaixonasse por uma negra, em março de 2011). Depois disso, Bolsonaro argumentou que havia entendido mal a pergunta e que achou que a pergunta era sobre uma possível relação homossexual de algum de seus filhos.

Mulheres

– “Eu tenho pena do empresário no Brasil, porque é uma desgraça você ser patrão no nosso país, com tantos direitos trabalhistas. Entre um homem e uma mulher jovem, o que o empresário pensa? “Poxa, essa mulher tá com aliança no dedo, daqui a pouco engravida, seis meses de licença-maternidade…” Bonito pra c…, pra c…! Quem que vai pagar a conta? O empregador. No final, ele abate no INSS, mas quebrou o ritmo de trabalho. Quando ela voltar, vai ter mais um mês de férias, ou seja, ela trabalhou cinco meses em um ano” (entrevista ao Zero Hora, em dezembro de 2014).

Estupro

– “Eu falei que não ia estuprar você (a então deputada Maria do Rosário) porque você não merece (em discurso na Câmara, em 2003). Ao explicar a frase ao jornal Zero Hora em dezembro 2014: “Ela não merece (ser estuprada) porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar porque não merece”.

Homossexuais

– “Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui: prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí. Para mim ele vai ter morrido mesmo” (em uma entrevista com a revista Playboy em junho de 2011).

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Pedro Antonio Souza Leal

    Nunca o descendente Sirio Haddad vai ganhar de BOLSONARO, POIS NÃO queremos nenhum meio estrangeiro e meio brasileiro dominando o brasil, chega DILMA que não valeu nada como presidenta do brasil, também pai estrangeiro, e agora temer filho de libanês, também não fez nada pelo brasil, queremos o puro brasileiro BOLSONARO, nosso capitão do exército brasileiro, que defende o povo da imoralidade e protege os brasileiros de cair nas mãos deste povo sem amor pelos brasileiros, fora haddad, vai para síria, fora dilma, vai para austria, fora temer, vai para líbano, deixam os brasileiros em paz, nos os brasileiros queremos com força o futuro presidente Bolsonaro, homem digno de receber a faixa de presidente do brasil, ele vai lutar pelos fracos, pelos desprovidos, pelos desamparados, pelos homilhados, pelos excluidos, pelos sofridos e descaranhados, pelos descabelados pelo nervossímo desta política podre do PT, e Ciro gomes, marina e demais políticos que não sabe adiministrar este país maravilhoso brasil do presidente Bolsonaro e a população brasileira, já estamos dando um basta no haddad, no Ciro gomes, na marina e demais políticos, queremos mesmo o BOLSONARO, pois ele tem olhado pela imoralidade que o brasil caiu, nesse movimento anti homem, anti mulher, casamento fora da LEI DIVINA, fora turma da bagunça, queremos Bolsonaro. ELE é o nosso presidente. Bolsonaro te esperamos no planalto.

  2. Priscila Susan Miranda de Sousa

    Vc sabia q o avô dele era alemão é era soldado nazista. Quem disse foi o mesmo em um pronunciamento na Câmara dos deputados