Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Ford e Volks se unem; Santander “descontrata” CEO e mais...

Flexibilização da posse de armas

O presidente Jair Bolsonaro assinou, nesta terça-feira um decreto que altera as regras para a posse de armas de fogo no Brasil, cumprindo uma das promessas de sua campanha. A flexibilização vale para moradores de áreas rurais e de cidades em que os índices anuais de homicídio superam a taxa de 10 a cada 100 mil habitantes, para servidores públicos que exercem funções com poder de polícia e para proprietários de estabelecimentos comerciais ou industriais. Essas pessoas poderão ter até quatro armas registradas por até 10 anos. Foram mantidas as necessidades do atestado de capacidade técnica e de laudo psicológico, além da idade mínima de 25 anos e de não ter antecedentes criminais.

Voltou atrás

Após declarar, durante a campanha presidencial, que o Brasil poderia deixar o Acordo de Paris, o agora presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou atrás e concordou em manter o país no acordo, informou nesta terça-feira, 15, o Ministro do Meio Ambiente. Ricardo Salles disse que, em decisão conjunta com Bolsonaro, foi decidido que o Brasil se manterá no acordo, pois nele há pontos importantes que podem trazer recursos para o país. Segundo o Ministro, o ponto que deve ser observado é a interferência do acordo no sentido de restringir a expansão do empreendedorismo no país.

Outra denúncia

Mais uma vez, o Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro denunciou, nesta terça-feira, o ex-governador do Sérgio Cabral (MDB) e o presidente afastado da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani (MDB). Eles são acusados de manter um esquema de lavagem de dinheiro proveniente de propina através da compra de cabeças de gado. Para o MP, Cabral recebeu propina de um milhão de reais da Carioca Engenharia entre 2007 e 2014. O dinheiro teria sido usado em operações superfaturadas de compra e venda de gado, criados pela família de Picciani. Os dois estão sendo denunciados por improbidade administrativa e, além da condenação, o MP também pediu o bloqueio dos bens dos acusados.

Ford e Volks se unem

As montadoras Ford e Volkswagen anunciaram uma parceria global no salão automobilístico de Detroit, nos Estados Unidos. A proposta não prevê fusões ou participação acionária entre as duas empresas, mas sim um compartilhamento e troca de recursos. O primeiro plano da aliança é lançar um novo modelo de picapes em conjunto até o ano de 2022. Além disso, a empresa passará a compartilhar novos projetos de automóveis entre si, em especial para modelos elétricos e autônomos.

Santander revoga contratação de CEO

O Banco Santander revogou nesta terça-feira, 15, a contratação do italiano Andrea Orcel, anunciado como novo CEO da companhia há cerca de três meses. O italiano deixou seu cargo na UBS em outubro e se preparava para assumir sua nova posição no Santander no começo de 2019. Contudo, o banco anunciou nesta terça que não conseguiria pagar Orcel o suficiente para compensar a remuneração que ele tinha deixado para trás no cargo anterior. Ana Botín, presidente executiva do conselho do Santander, disse que a companhia é “um banco com responsabilidades significativas para com as sociedades nas quais opera. Ao tomar essa decisão, tivemos que equilibrar o respeito que temos por todos os nossos ‘stakeholders’”.

China responde Trudeau

Hua Chunying, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, respondeu nesta terça-feira os comentários do primeiro-ministro do Canadá sobre o caso de Robert Schellenberg. Justin Trudeau havia demonstrado “grande preocupação […] que a China tenha escolhido arbitrariamente aplicar a pena de morte”, decisão tomada pela corte chinesa na segunda-feira, 14, por acusação de tráfico de 222kg de metanfetamina por parte do canadense Schellenberg. A porta-voz chinesa classificou a fala de Trudeau como irresponsável e acrescentou: “Os comentários desta relevante autoridade canadense carecem do mais básico conhecimento sobre nosso sistema legal”.

Ataque terrorista no Quênia

Um complexo hoteleiro de Nairóbi, capital do Quênia, foi alvo de explosão e tiroteios na tarde desta terça-feira, 15. A polícia local trata o caso como suspeita de ataque terrorista, apesar do grupo extremista Al-Shabab já ter reivindicado autoria do ataque. Os criminosos chegaram ao local em carros, próximo ao hotel DusitD2, no bairro de Westlands. Segundo a Reuters, uma pessoa morreu e cerca de 15 ficaram feridas e foram levadas aos hospitais Avenue e Aga Khan. Um suspeito foi preso.

Talibã assume ataque em Cabul

O grupo terrorista Talibã reivindicou nesta terça, 15, a autoria do atentado com um carro-bomba realizado na noite de segunda-feira, 14, em Cabul, capital do Afeganistão. O ataque aconteceu em uma área residencial no leste da cidade e deixou pelo menos quatro mortos e 113 feridos. O grupo terrorista afirmou que os civis não eram o alvo do atentado. Eles também disseram que, após o atentado, quatro terroristas-suicidas lutaram contra forças estrangeiras e afegãs. Basir Mujahid, porta-voz da polícia de Cabul, negou o conflito após o ataque com o carro-bomba. A capital do Afeganistão tem sofrido diversos ataques desde as eleições parlamentares de outubro de 2018.