Filho de Alencar é cobiçado por PT e PMDB para 2014

PT mineiro pretende filiar ao partido o empresário Josué Christiano Gomes da Silva, filho do ex-vice-presidente José Alencar (PRB), que morreu em março do ano passado

Belo Horizonte – O PT mineiro pretende filiar ao partido o empresário Josué Christiano Gomes da Silva, filho do ex-vice-presidente José Alencar (PRB), que morreu em março do ano passado. A filiação de Josué, presidente da Coteminas, é pretendida também pelo PMDB estadual. O filho de Alencar é visto pelas legendas como um quadro técnico para as eleições majoritárias de 2014.

Um dirigente do PT teve pelo menos três encontros com o empresário nos últimos 15 dias, nos quais o assunto foi tratado com discrição, como manda a tradição da política em Minas. Embora tenha como “candidato natural” ao Palácio Tiradentes o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, a sigla petista estuda novos nomes para confrontar a hegemonia do PSDB no Estado. Josué é visto como opção para o Executivo ou para o Senado.

“O nome do Josué tem sido lembrado no meio político. O pai dele, o José Alencar, é o único filiado honorário do PT”, observou o presidente do diretório estadual petista, deputado federal Reginaldo Lopes. “Ele é um nome a ser considerado.”

A doença de Alencar – que travou uma longa luta contra um câncer abdominal – aproximou nos últimos anos o filho empresário do meio político, no qual o ex-vice-presidente conquistou uma verdadeira legião de admiradores, principalmente no primeiro escalão do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ex-ministro Patrus Ananias e a atual presidente Dilma Rousseff costumavam tratar o ex-vice-presidente com reverência. A presidente, segundo petistas, já chegou a brincar com o presidente da Coteminas, dizendo que ele deveria articular sua candidatura ao governo estadual.


Josué não descarta uma incursão na política, mas desconversa quando é questionado sobre o assunto. “A lembrança do meu nome é uma homenagem que estão fazendo ao meu pai”, disse ao Estado. “É óbvio que fico lisonjeado. A atividade pública é uma atividade nobre e muito importante.”

Se quiser mesmo ingressar na política partidária, o empresário terá como desafio preparar a transição no comando da indústria têxtil fundada por seu pai em 1967. Quando decidiu se dedicar à política, em 1994, com a frustrada campanha ao governo de Minas, José Alencar delegou a Josué, o filho mais novo, a missão de tocar a empresa. O herdeiro imprimiu a marca da internacionalização e ousadia ao grupo têxtil, mas também costuma ser descrito como um centralizador no comando dos negócios.

Além do PT, o PMDB mineiro trabalha para filiar o empresário. O diretório estadual do partido insiste no discurso da candidatura própria em 2014.

O senador Clésio Andrade, que se filiou ao PMDB em março, já é considerado pré-candidato da legenda ao Palácio Tiradentes, sede do Executivo mineiro. Mas o ingresso do filho de Alencar teria um impacto forte na política local, acredita o presidente estadual da legenda, deputado federal Antônio Andrade.

“A informação que tenho é de amigos, desse desejo dele (Josué) de se filiar a um partido”, disse. “Assim que eu puder quero ter uma conversa com ele. O pai gostava de dizer que o Josué era muito melhor que ele.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.