Final da Copa já tem 500 mil pedidos por ingressos

Muitos torcedores terão que se contentar em assistir o jogo em outro lugar, já que o estádio do Maracanã só tem capacidade para aproximadamente 73 mil pessoas

Zurique – A Fifa voltou a destacar nesta quinta-feira, desta vez por meio da coluna mensal do secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, a grande procura por ingressos para a Copa do Mundo de 2014. O dirigente revelou que quase meio milhão de pedidos por bilhetes já foram feitos apenas para a final que será realizada no Maracanã, estádio que no Mundial terá sua capacidade total reduzida para 73.531 torcedores, segundo aponta o site oficial do organismo que controla o futebol mundial. Números oficiais da Fifa apontam que hoje o local é capaz de abrigar 79.185 espectadores.

“Após quase três semanas, os pedidos de ingressos estão chegando em um volume impressionante. Mais de 3,6 milhões de solicitações foram recebidas até o momento – quase meio milhão delas apenas para a final no Maracanã, apesar de o estádio ter capacidade para aproximadamente 73 mil pessoas”, escreveu Valcke em sua coluna, na qual também disse apostar que o Mundial no Brasil terá um volume recorde de pedidos por bilhetes. “Até agora, a Alemanha detém o recorde de pedidos na primeira fase de venda, com mais de 8 milhões, mas o Brasil está a caminho de superá-la”, completou.

Valcke também revelou que mais de 80% dos torcedores que procuraram ingressos até agora nesta fase inicial de vendas são brasileiros. “Os torcedores, principalmente os brasileiros, terão mais chances de conseguir ingressos nesta primeira fase de venda, antes que as torcidas de outros países comecem a procurar entradas conforme suas seleções forem se classificando. Até o momento, os torcedores estrangeiros representam apenas 18% das solicitações, mas isso certamente mudará assim que mais equipes garantirem vagas para a Copa”, enfatizou.

O secretário-geral da Fifa lembrou que agora é o melhor momento para os torcedores residentes nas cidades-sede da Copa tentarem fazer pedidos por ingressos, “especialmente se buscarem partidas que não sejam a de abertura, a final e as que o Brasil disputará, que naturalmente são as mais procuradas neste momento”.

ESTÁDIOS – Valcke também voltou a abordar de maneira breve a questão da preparação dos estádios ainda em fase final de construção para a Copa, admitindo mais uma vez que os mesmos são prioridade para Fifa, mas destacou que outros fatores estão contribuindo para que o Brasil, de fato, organize o Mundial com sucesso.

“No aspecto operativo, estamos caminhando na direção certa, não apenas em relação à própria Copa do Mundo, como também para depois de 2014. Recentemente, li comentários na imprensa brasileira de que a Fifa só se interessa pelos estádios. Não há dúvidas de que, sem eles, não conseguiríamos realizar o torneio e, desse modo, é natural que seja importante para nós que eles sejam finalizados a tempo. Mas uma competição das proporções de uma Copa do Mundo não pode ser organizada apenas com estádios. Para assegurar que as torcidas, as seleções e a imprensa possam viver uma ótima experiência, são necessários transporte público, aeroportos e acomodações”, alertou.

Valcke também aproveitou o espaço reservado a ele nesta coluna mensal que publica no site da Fifa para lamentar o fato de que o Brasil acaba de perder um dos seus maiores ídolos. O dirigente já abriu o seu texto falando sobre a morte de Gilmar dos Santos Neves, antes de abordar os assuntos ligados ao Mundial de 2014.

“Infelizmente, precisamos dizer adeus na semana passada a um dos grandes nomes do futebol brasileiro: Gilmar dos Santos Neves, um goleiro verdadeiramente icônico. Poucas pessoas no Brasil se esquecerão de sua contribuição nas Copas do Mundo de 1958 e 1962, quando o Brasil obteve os dois primeiros de seus cinco títulos mundiais. Ele será para sempre lembrado pela comunidade futebolística e seguirá vivo nos livros de história do principal evento do futebol”, exaltou Valcke.