Falha em condensador leva a desligamento de Angra 1

A parada foi causada por um rompimento num tubo de um dos condensadores que resfriam o vapor usado para mover o gerador elétrico da usina nuclear

Rio – Uma falha em um condensador levou ao desligamento da usina nuclear Angra 1 do Sistema Interligado Nacional, à 00h22 desta quinta-feira, 19.

Segundo a Eletronuclear, a parada foi causada por um rompimento num tubo de um dos condensadores que resfriam o vapor usado para mover o gerador elétrico da usina.

A companhia explica que o desligamento foi necessário para preservar a integridade de outros equipamentos, como os geradores de vapor.

Ainda não há previsão de retorno da usina à operação.

Funcionários de manutenção e engenharia da Eletronuclear trabalham para corrigir o problema e determinar quando a unidade poderá ser religada.

A empresa afirma que o condensador não faz parte dos equipamentos da área nuclear, portanto, não tem qualquer relação com a área contaminável.

A companhia declara que não houve nenhum outro tipo de risco aos trabalhadores à população ou ao meio ambiente.

O relatório diário de operação divulgado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) menciona que a usina gerou abaixo da energia programada das 21h20 à meia-noite de quarta-feira, 18, devido a um “rompimento no tubo condensador de sua unidade geradora”.

Segundo o ONS, a produção média verificada foi de 532 megawatts (MW) médios ante 565 MW programados.