Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, afirmou que o governo do presidente Donald Trump colocou em suspenso a imposição de tarifas à China

Extradição na Lava-Jato

O Ministério Público Federal informou neste domingo, 20, que o Tribunal de Relação de Lisboa determinou na sexta-feira, 18, o cumprimento da ordem de extradição do empresário Raul Schmidt, réu na Lava Jato, de Portugal para o Brasil. A defesa do empresário informou ao Estado que vai recorrer da decisão no Supremo Tribunal de Justiça, a corte máxima portuguesa. Preso em Portugal em março de 2016, na primeira fase internacional da Lava-Jato, Schmidt teria recebido, segundo Ministério Público, propina de mais de 200 milhões de dólares para facilitar desvios de recursos da Petrobrás. Para o Ministério Público, é possível que ele seja “o fugitivo com maior patrimônio desviado dos cofres públicos brasileiros”.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Caminhoneiros param

Caminhoneiros devem fazer protestos em todo o país nesta segunda-feira, 21, contra o aumento dos combustíveis, em especial do diesel, e para pedir a isenção de tributos como forma de baratear o preço dos fretes. Na madrugada, já havia movimentações de caminhoneiros em rodovias importantes, como a Presidente Dutra (que liga São Paulo ao Rio de Janeiro), onde havia interrupção parcial do tráfego nos dois sentidos na altura de Pindamonhangaba (SP), já por volta das 2h. Nas redes sociais, havia relatos de concentração de caminhões em estradas como Fernão Dias, Anhanguera, BR-101 (no Rio Grande do Sul) e BR-116 (na Bahia).

Publicidade com dinheiro da saúde

O governo de Michel Temer pagou a campanha institucional de dois anos de seu governo utilizando verbas realocadas Ministério da Saúde, revelou neste domingo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo. Segundo Jardim, foram gastos 22 milhões de reais, que seriam originalmente usados em campanhas contra a febre amarela e de vacinação. Esta é a mesma campanha que semana passada foi alvo de críticas de governistas e de chacotas de opositores por seu slogan “O Brasil voltou, 20 anos em 2”.

Africanos resgatados

Um barco pesqueiro com 25 africanos e dois brasileiros que ficou à deriva em alto-mar foi resgatado na noite deste sábado, 19, na cidade de São José de Ribamar, na região metropolitana da capital São Luís, no Maranhão. A Polícia Federal investiga se o transporte do grupo está associado a alguma prática criminosa. Segundo o governo do Maranhão, havia africanos de cinco nacionalidades: Senegal, Nigéria, Guiné, Serra Leoa e Cabo Verde. O grupo desembarcou no cais de São José de Ribamar, após operação conjunta com a Marinha e a PF. Os resgatados são homens com idades entre 19 e 35 anos em busca de trabalho e melhores condições de vida. Eles teriam ficado 35 dias à deriva no mar em uma embarcação precária. De acordo com o secretário de Direitos Humanos do Maranhão, Francisco Gonçalves, a maioria deles tinha quadro de desidratação e pressão alta.

Moro: ninguém está acima da lei

O juiz federal Sergio Moro afirmou que “ninguém está acima da lei”, em discurso na cerimônia de formatura da Universidade Notre Dame, no Estados Unidos, neste domingo. Moro foi o principal orador da cerimônia de formatura da tradicional universidade americana, ocupando um posto que já foi de ex-presidentes como Barack Obama. “O alicerce de nações democráticas é o Estado de Direito, o que significa que todos têm direto á igual proteção da lei”, disse Moro. O juiz falou no decorrer de seu trabalho tem que lidar com “ameaças, riscos e tentativas de difamação”. John Jenkins, presidente da universidade, afirmou que Moro foi convidado por representar os valores da instituição, entre eles a luta pela justiça “sem medo ou favor”.

Guerra comercial suspensa

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, afirmou neste domingo que o governo do presidente Donald Trump colocou “em suspenso” a imposição de tarifas à China, após dias de negociações entre as partes. Segundo ele, porém, Trump pode no futuro impor tarifas, caso Pequim não leve adiante suas promessas. “Conseguimos progresso muito significativo com a China nas negociações comerciais”, afirmou Mnuchin, durante entrevista à emissora Fox News. Segundo ele, foi fechado um marco, uma estrutura entre as partes, que incluirá uma redução “significativa” do déficit comercial americano com a China.