Exército brasileiro homenageia major alemão que defendeu exército nazista

Instituição publicou um tributo ao alemão, definindo-o como um "oficial brilhante" e "um sobrevivente da 2ª Guerra Mundial"

São Paulo — Na noite desta segunda-feira (), o Exército Brasileiro homenageou um major alemão que lutou no exército nazista de Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e foi assassinado no Brasil em 1968.

Eduard Ernest Thilo Otto Maximilian von Westernhagen (mais conhecido como Otto Maximilian), veio ao país para fazer um curso na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME) e foi morto a tiros no Rio de Janeiro em uma ação da guerrilha de esquerda Colina (Comando de Libertação Nacional), que lutava contra a ditadura militar.

O alemão foi morto por engano, uma vez que foi confundido com o major boliviano Gary Prado, também aluno da instituição, que havia participado da captura de Che Guevara um ano antes, em 1967. 

O site do Exército publicou um tributo a Maximilian, definindo-o como um “oficial brilhante” e “um sobrevivente da 2ª Guerra Mundial e das prisões totalitárias soviéticas, cuja vida foi encurtada por um ato terrorista insano e covarde”.

Segundo a instituição, uma sala do ECEME foi batizada com o nome do major. 

O termo “nazista” foi o sexto assunto mais comentado no Twitter na manhã desta terça-feira (2).