Ex-diretor da ANTT defende recuperação de ferrovias

"Esses trechos têm de ser recuperados não porque são importantes para a logística, mas porque é obrigação de contrato das empresas", disse Bernardo Figueiredo

São Paulo – O ex-diretor-geral da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, defendeu nesta quinta-feira a decisão do governo de exigir que as empresas concessionárias de ferrovias recuperem trechos abandonados, independentemente de esses trechos terem demanda ou não. “Essa é uma obrigação e ela tem que fazer”, disse ao ser questionado a respeito por participantes do Congresso Brasileiro do Aço, que está sendo realizado em São Paulo.

“Esses trechos têm de ser recuperados não porque são importantes para a logística, mas porque é obrigação de contrato das empresas. Elas assinaram um contrato de concessão no qual elas tinham a obrigação de manter esses trechos em condição de trafegabilidade. Obrigação é obrigação”, afirmou.

Figueiredo foi escolhido pelo governo para presidir a Etav, estatal que vai administrar o Trem de Alta Velocidade (TAV), posto que deve assumir nas próximas semanas. Na sua gestão à frente da ANTT, ele defendeu que as concessionárias de ferrovias recuperassem os trechos abandonados ou então os devolvessem ao governo federal.