EUA: só 1,2%; SabMiller diz sim…

PIB americano em baixa

O PIB dos Estados Unidos cresceu 1,2% no segundo trimestre deste ano, menos do que a média de 2,5% esperada por analistas. Divulgados pelo Departamento de Comércio americano nesta sexta-feira, os dados também revisaram o crescimento do primeiro trimestre, que fechou em 0,8% — e não em 1%, como informado meses atrás. A taxa de investimento privado também caiu e fechou em 3,2%, a menor em sete anos. O baixo crescimento reforça a decisão do Fed, banco central do país, nesta semana de manter as taxas de juro entre 0,25% e 0,5%.

UE cresce menos 

O crescimento também foi fraco na União Europeia, que anunciou nesta sexta-feira crescimento de apenas 0,3% do PIB entre abril e junho, levando em conta os 19 países que adotam o euro como moeda. Embora os resultados fracos já fossem esperados — após crescimento de apenas 0,6% no primeiro trimestre —, analistas apontam que a incerteza gerada pela saída do Reino Unido do bloco intensificou os mau resultado.

Cook pró-Hillary

Depois de ser oficialmente nomeada candidata à Presidência dos Estados Unidos na convenção democrata encerrada nesta quinta-feira, Hillary Clinton receberá a ajuda de um nome de peso do Vale do Silício: o presidente da Apple, Tim Cook. Confirmando a popularidade da ex-secretária de Estado entre os figurões da tecnologia, o executivo será o anfitrião de um evento destinado a levantar fundos para a campanha da democrata no próximo dia 24 de agosto. Embora já tenha doado também a candidatos republicanos — como o presidente da Câmara, Paul Ryan —, Cook tem um posicionamento que não surpreende, uma vez que o republicano Donald Trump já deu declarações pedindo boicote aos produtos da Apple.

Impasse no Mercosul

Continua a polêmica envolvendo a presidência do Mercosul: o Uruguai deu por encerrada sua gestão à frente do bloco nesta sexta-feira, mas não anunciou a transferência do posto a nenhum dos demais membros. De acordo com as regras da presidência rotativa — que tem duração de seis meses —, a Venezuela deveria assumir o cargo agora, mas o Paraguai é contra por afirmar que o governo de Nicolás Maduro vem tentando silenciar o Parlamento do país. O Brasil também reluta em transferir a presidência neste momento, mas o Uruguai afirmou nesta sexta-feira que “não existem argumentos jurídicos” para a Venezuela deixar de assumir. Uma reunião que discutiria o tema neste sábado 30 foi cancelada, e uma nova conversa deve acontecer em agosto, quando se encerra o prazo para a Venezuela aderir às normas do Mercosul.

Erdogan vs. EUA 

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, acusou o diretor da Central de Comando dos Estados Unidos, Gen Votel, de estar “ao lado dos conspiradores” que tentaram um golpe militar na Turquia há duas semanas. A declaração vem depois de o oficial americano afirmar que a política de Erdogan de prender líderes militares poderia danificar a imagem turca e a cooperação militar dos Estados Unidos no país. “Essa decisão não é da sua conta. Quem é você? Coloque-se no seu lugar”, disse o presidente turco nesta sexta-feira.

SabMiller diz sim 

O conselho da fabricante de bebidas SABMiller disse à AB Inbev que aceitará a oferta de compra da concorrente se uma oferta de 104 bilhões for feita — a AB Inbev já havia oferecido um valor próximo a isso, pouco mais de 103 bilhões, aumentando sua oferta inicial de 100 bilhões. Havia dúvidas se o conselho da SABMiller aceitaria esse valor, considerado insuficiente para compensar a desvalorização da libra. Em comunicado, a AB Inbev deu boas-vindas à proposta, tornando quase certo o desfecho para uma fusão que criará a maior companhia do setor de bebidas. Para que seja oficialmente concluído, contudo, o negócio ainda precisa ser aprovado por determinados setores da SABMiller em todo do mundo. Com o desenrolar das conversas, as ações da SABMiller subiram 2,1% na bolsa de Londres nesta sexta-feira, ao passo que as da AB InBev cresceram 4,6 euros.

Oracle: 9 bi pela NetSuite

A desenvolvedora de softwares de dados Oracle firmou um acordo para adquirir a empresa de serviços em nuvem NetSuite por 9 bilhões de dólares. A compra é uma forma de a Oracle aumentar sua fatia na nuvem, que foi responsável por apenas 10% das vendas da empresa no último ano. A relação das empresas vem de décadas: o cofundador da Oracle, Larry Ellison, também ajudou a fundar a NetSuite em 1998 e hoje detém 45% das ações da empresa. O presidente da NetSuite, Zach Nelson, também dirigiu as operações de marketing da Oracle na década de 90.

Más notícias nas petroleiras

As petroleiras Exxon Mobil e Chevron divulgaram nesta sexta-feira seus resultados para o segundo trimestre, e os números não foram lá muito bons. Maior companhia do mundo no setor, a Exxon teve resultados piores do que o esperado: a receita líquida fechou em 1,7 bilhão de dólares, bem menos do que os 4,19 bilhões do primeiro trimestre. A produção entre abril e junho também caiu 0,6%. O período foi ainda pior para a Chevron, que teve seu pior resultado no segundo trimestre desde 2001, registrando prejuízo de 1,47 bilhão de dólares — em comparação ao lucro de 571 milhões no primeiro trimestre.