Estudantes ocupam 6 escolas em SP em protesto

O projeto, da Secretaria de Educação, prevê o fechamento de 94 unidades e a transferência de cerca de 311 mil estudantes para escolas da região onde moram

Chegou a seis o número de escolas ocupadas por estudantes paulistas contra a projeto de reorganização das escolas estaduais, que será implantado no início do próximo ano em todo o estado.

O projeto, da Secretaria de Educação, prevê o fechamento de 94 unidades e a transferência de cerca de 311 mil estudantes para escolas da região onde moram.

O objetivo, segundo a secretaria, é segmentar as escolas em três grupos (anos iniciais e finais do ensino fundamental e ensino médio), conforme o ciclo escolar.

Além da Escola Estadual Fernão Dias Paes – localizada na Rua Pedroso de Moraes, em Pinheiros, na zona oeste, ocupada desde terça-feira (10) por um grupo de alunos -, cuja reintegração de posse foi determinada pela Justiça e deve ocorrer hoje (13) ou amanhã, mais duas escolas da capital e três da região metropolitana de São Paulo foram ocupadas por estudantes nesta semana.

Ontem (12), jovens contrários à proposta do governo do estado ocuparam as escolas Salvador Allende, no bairro José Bonifácio, região de Itaquera, zona leste da capital, e Castro Alves, na Vila Mazzei, zona norte.

Além dessas, mais duas unidades estaduais, a Escola Professora Heloísa de Assumpção, localizada em Quitaúna, na cidade de Osasco, e a Valdomiro Silveira, em Santo André, no ABC paulista, tiveram as dependências ocupadas.

A primeira unidade ocupada na Grande São Paulo foi a Escola Estadual Diadema, localizada no município de mesmo nome, no ABC paulista.

Os alunos se instalaram no local na noite da última segunda-feira (9).