Empresa holandesa aceita indenizar Petrobras em R$ 5,3 bi

A SBM, uma das maiores fabricantes de plataformas de petróleo do mundo, confessou o pagamento de propinas à estatal brasileira

São Paulo Após ter confessado o pagamento propina em troca de contratos com a Petrobras no Brasil, a companhia holandesa SBM Offshore aceitou indenizar a estatal em US$ 1,7 bilhão, o equivalente a R$ 5,3 bilhões, segundo reportagem publicada pelo jornal “Folha de S. Paulo” nesta quarta-feira (8).

No entanto, a empresa enfrenta dificuldades em obter um acordo de leniência com o governo devido a um impasse entre a CGU (Controladoria Geral da União) e o Ministério Público Federal.

O MPF questiona a legitimidade da CGU em fazer esse tipo de pacto, o que paralisou as negociações.

Segundo o jornal, caso a questão fosse solucionada e a SBM obtivesse o acordo, cerca de 40% do valor da indenização seria entregue imediatamente à Petrobras.

Valor

A empresa holandesa, uma das maiores fabricantes de plataformas de petróleo do mundo, tem pressa de sanar sua dívida para afastar o risco de quebrar no Brasil, de acordo com a reportagem.

A SBM possui atualmente US$ 22 bilhões em contratos com a Petrobras e admitiu ter pago US$ 139 milhões em propinas no país.

Conforme o jornal, o valor da indenização foi calculado por técnicos brasileiros que acompanham o caso de corrupção e pode aumentar com o avanço das investigações.

Reposta

Em nota, a empresa negou a notícia divulgada pela Folha. “As discussões com autoridades brasileiras estão em estágios iniciais e números não foram acertados”, disse a SBM em comunicado.

*Matéria atualizada às 9h16