Em uma semana, denúncias de tráfico de mulheres igualam 2012

De acordo com Secretaria de Políticas para as Mulheres, estão relacionadas tanto ao tráfico internacional de pessoas, como ao tráfico de pessoas entre estados brasileiros

Brasília – Em menos de uma semana a Central de Atendimento à Mulher registrou 58 denúncias sobre tráfico de mulheres, entre os dias 3 e 7 de fevereiro. O número é igual ao total registrado durante todo o ano de 2012. As denúncias, na maioria, partiram do Brasil e foram recebidas pelo Ligue 180, serviço voltado para receber denúncias de violência contra as mulheres.

De acordo com a Secretaria de Políticas para as Mulheres, estão relacionadas tanto ao tráfico internacional de pessoas, tendo a Europa como frequente destino, como também registro de tráfico de pessoas entre estados brasileiros. Todas as denúncias já foram encaminhadas à Polícia Federal (PF) para averiguação dos fatos.

Na semana passada, a PF anunciou que duas quadrilhas que traficavam brasileiras para serem exploradas sexualmente no exterior foram desbaratadas. No total, as operações resgataram 40 vítimas do tráfico internacional de mulheres, entre brasileiras e estrangeiras, que eram exploradas sexualmente na Espanha.

Uma das operações, feita na semana passada com a colaboração da polícia espanhola, resultou na prisão de seis pessoas, no Brasil e na Espanha, envolvidas com o tráfico de mulheres.

Em entrevista, a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, disse que o governo estuda ampliar o Ligue 180 Internacional. Criado em novembro de 2011, o serviço atende brasileiras em situação de violência na Espanha, na Itália e em Portugal. A ministra também fez um apelo para que as pessoas denunciem mais este tipo de crime.

“Nós do governo federal temos adotado uma postura de uma política obcecada e determinada para combater o tráfico de pessoas. Quero chamar todas as mulheres e homens do Brasil para denunciar esse tipo de situação. Não podemos deixar que as pessoas sejam vítimas dessas quadrilhas”, disse.