Em Sergipe, pecuária é atividade de subsistência, indica IBGE

A atividade predomina em 60% de todo o território, mas está associada à agricultura

Rio de Janeiro – O estado de Sergipe, na Região Nordeste do país, tem a pecuária como economia de subsistência. A atividade predomina em 60% de todo o território, mas está associada à agricultura, como pode ser constatado no Mapa da Cobertura e Uso da Terra do Estado do Sergipe, divulgado hoje (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O mapeamento foi elaborado com base em imagens de satélite, trabalho de campo e textos técnicos de referência e permite observar que a criação de animais de grande porte, como bovinos, é encontrada nas regiões central e oeste associada a lavouras de grãos, principalmente de milho. Já no sudeste do estado, a pecuária está associada ao plantio de frutos secos permanentes, como o coco-da-baía. Na região sul, os pastos são divididos com o cultivo de cítricos, como a laranja e o limão. No setor leste, foi observado o cultivo da cana-de-açúcar associado à exploração de petróleo.

De acordo com o IBGE, o estudo mostra que os produtores de Sergipe introduziram modernizações tecnológicas para obter melhores resultados com o uso da terra. “Os resultados deste estudo são fundamentais para o planejamento e para o acompanhamento das mudanças da cobertura e no uso da terra com vistas à gestão do território de Sergipe, considerando que ele fornece informações que podem apoiar análises de conflitos socioambientais, avaliação dos impactos sobre os recursos naturais e seus processos de transformação”, diz o comunicado do instituto.

O mapa está disponível no site do IBGE.