Bolsonaro ignora soltura de Lula e diz que só é responsável pelo Executivo

Aliado de Bolsonaro no Congresso disse que o presidente pretende evitar dar sinais de afronta à decisão do Supremo Tribunal Federal

Em passagem por Goiânia (GO), nesta sexta-feira, 8, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ignorou a decisão da Justiça de libertar da prisão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao discursar e ao falar com apoiadores. Mais tarde, no Palácio do Planalto, o presidente afirmou a populares que é responsável apenas pelo que acontece no Poder Executivo. “Não vou entrar numa furada”, disse, logo que chegou no Palácio da Alvorada. “Tenho responsabilidade com todos vocês”, completou.

Segundo auxiliares de Bolsonaro, o presidente evitou fazer comentários sobre a soltura, mesmo longe da imprensa. Um aliado de Bolsonaro no Congresso, presente no evento, disse que o presidente mencionou que pretende evitar dar sinais de afronta à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre derrubar a possibilidade de prisão em segunda instância.

A medida que abriu o caminho para o petista sair da prisão. Segundo outras duas fontes que acompanharam a viagem, Bolsonaro se manteve calmo, pois já havia “precificado” que Lula seria beneficiado pela decisão da Corte.

Bolsonaro participou de evento para entrega de 214 ônibus escolares a 133 municípios goianos. Por volta de 16h25, minutos após a decisão de soltar Lula, um assessor se aproximou de Bolsonaro e mostrou a ele uma informação na tela do celular.

Bolsonaro estava sentado no palco do evento ao lado de ministros e outras autoridades. Não está claro se o assessor comunicava Bolsonaro sobre a decisão da Justiça. Momentos depois, Bolsonaro voltou a cochichar com o mesmo assessor.

Bolsonaro discursou por pouco menos de 10 minutos durante o evento. Em nenhum momento fez menção ao caso de Lula ou à decisão do Supremo.

Após o evento, havia previsão de o presidente conversar com a imprensa. A equipe de comunicação do Palácio do Planalto chegou a montar uma estrutura para a entrevista coletiva. O ministro da Educação, Abraham Weintraub, se aproximou do local, mas, no fim, ninguém falou com os jornalistas.

A comitiva do presidente, então, se dirigiu para a inauguração do escritório político do líder do governo na Câmara, Major Victor Hugo (PSL-GO), na capital goiana. Ao chegar no local, Bolsonaro tirou selfies com apoiadores e pegou uma criança no colo. Na saída, Bolsonaro deixou o local sem dar declarações.