Em encontro com evangélicos, Dilma elogia obra da Assembleia

A presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff destacou obras sociais da Assembleia de Deus, durante encontro com evangélicos

São Paulo – A presidente Dilma Rousseff, que disputa a reeleição pelo PT, destacou hoje (8), durante encontro com evangélicos, a importância das obras sociais tocadas pela Assembleia de Deus, que considera semelhantes às que foram desenvolvidas ao longo de sua gestão.

Em discurso na 46ª edição da Confederação de Irmãs Beneficentes Evangélicas Nacional (Ciben), no Brás, a presidente foi muito aplaudida pela plateia, majoritariamente femina, ao lembrar o papel das mulheres na evolução social do país.

Ela citou o critério usado pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, de manter a propriedade do imóvel em nome da mulher, para coibir a venda, alegando que as mães sempre vão pensar primeiro na proteção dos filhos.

Embora salientando que o Estado brasileiro é laico, Dilma ganhou a simpatia da plateia batendo palmas no ritmo de um cântico que dizia: “Mulheres guerreiras ergam a bandeira, porque nessa peleja a mulher sábia edificará”; citando trecho de um salmo de Davi, “Feliz é a Nação cujo Deus é o Senhor”; e comprometendo-se a comparecer, no ano que vem, à próxima edição do encontro religioso, em Manaus.

Segundo o bispo Manuel Ferreira, líder da igreja, nenhum dos antecessores de Dilma tinha apresentado tal reconhecimento pela obra social dos evangélicos.

”Nem o Lula”, disse ele, emendando que o ex-presidente reconhece, mas nunca manifestou isso, publicamente. ”Saímos daqui com a alma lavada”, afirmou Ferreira.

Terminado o evento, realizado a poucos metros do Templo de Salomão, da igreja Universal do Reino de Deus, inaugurado há uma semana com a presença da candidata, Dilma e sua comitiva seguiram para Iturama, no Triângulo Mineiro, onde visita obras da Ferrovia Norte-Sul.

O secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, e o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, acompanharam a presidente no encontro com os evangélicos.