Em discurso, Dilma chama Cunha e aliados de corruptos

A presidente voltou a dizer também que o processo de impedimento contra ela equivale a um golpe

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira que está sendo julgada no processo de impeachment em tramitação no Congresso por um “corrupto”, em citação direta ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Dilma voltou a dizer, em cerimônia para a entrega de residências do programa Minha Casa Minha Vida em Salvador, que o processo de impedimento contra ela equivale a um golpe, uma vez que não cometeu qualquer crime, ao contrário daqueles que buscam o impeachment, segundo ela.

“Como não acharam nenhum outro motivo, como aqueles que me acusam praticaram, como os crimes que eles praticaram, crimes de corrupção, do que são acusados. Eles vão ter que responder. Eles têm acusação. Eu não tenho”, disse Dilma.

“O mais estranho é que quem me julga é corrupto. Essa pessoa, que é o presidente da Câmara, é uma pessoa que todo mundo sabe no Brasil que tem conta no exterior. É acusado pela Procuradoria-Geral da República.”