Em ato de Haddad, líder de sigla que apoia Alckmin pede voto para Lula

Ciro Nogueira, presidente do PP, partido que fechou apoio a Alckmin, disse que se depender da população do Piauí, país terá sim Lula "presidente de novo"

Brasília- No primeiro ato de rua da campanha do candidato a vice-presidente da chapa do PT, Fernando Haddad, o senador Ciro Nogueira (PI), presidente do PP, partido que integra a coligação do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, pediu voto para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ao lado de Haddad em um palco em Teresina, na capital do Piauí, Ciro Nogueira disse que o fato de a campanha petista começar pelo Piauí mostra o “diferencial” de Lula, o “carinho” que tem pelos mais pobres e pelo desenvolvimento do Nordeste.

Ele também agradeceu a Haddad, a quem chamou de “vice-presidente” e “ministro” –numa referência ao fato de ele ter ocupado a pasta da Educação nas gestões de Lula e de Dilma Rousseff.

“Nós não podemos perder essa chance, minha gente, e é por isso que estamos aqui ao lado de Fernando Haddad, ao lado de Wellington (Dias, governador do Estado, candidato à reeleição e filiado ao PT) candidato, de Regina Sousa (senadora e candidata a vice-governadora), porque nós sabemos que temos de devolver a esperança ao povo do Piauí”, disse Ciro.

O presidente do PP, que é candidato à reeleição ao Senado, disse estar ao lado de Wellington Dias para que ele devolva a esperança ao povo e destacou que, se depender da população local, o país terá sim Lula “presidente de novo”.

Ciro Nogueira firmou uma aliança no Estado para tentar se reeleger ao Senado, apoiando a chapa petista encabeçada por Wellington Dias e para a segunda vaga ao Senado o deputado federal pelo MDB Marcelo Castro, que foi ministro da Saúde de Dilma.

No plano nacional, contudo, o PP fechou apoio a Alckmin e ainda indicou a candidata a vice do tucano, a senadora Ana Amélia (RS).

“Vamos em frente, é Lula, Haddad, Wellington, Regina, Ciro (Nogueira) e Marcelo, para o bem do Piauí, vamos em frente!”, afirmou o presidente do PP.

Lula –que está em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto ao Palácio do Planalto e é extremamente popular no Nordeste– está preso desde abril cumprindo pena pela condenação no processo do tríplex do Guarujá (SP). O petista provavelmente terá a candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na Lei da Ficha Limpa e Haddad deve substituí-lo na cabeça de chapa petista.

Perseguição

Em sua primeira agenda na rua após ser oficializado vice de Lula, Haddad –ainda pouco desenvolto no palanque– disse ter trazido a Welligton Dias um recado do ex-presidente. Afirmou que Lula é “candidatíssimo” e que vai governar junto com ele.

O candidato a vice aproveitou a fala para citar a decisão do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) que, mais cedo, afirmou que Estado brasileiro deve garantir a Lula o exercício de todos os direitos políticos mesmo que na prisão, incluindo o acesso a membros do seu partido e à imprensa, e que não o impeça de concorrer nas eleições de 2018 até que todos os recursos judiciais pendentes sejam analisados.

Segundo Haddad, a “maior autoridade” mundial disse que o ex-presidente “não pode ser mais perseguido” e protestou. “Todas as autoridades brasileiras estão querendo evitar o inevitável, que o Lula volte ao Planalto”, disse.

O vice petista disse que é preciso recuperar a “soberania” nacional e popular e que, fora isso, é cassar o direito do povo. “O Lula vai lutar até a ultima gota de suor para ser candidato a presidente, com todas as forcas, ejá disse, ‘não vou trocar minha dignidade pela minha liberdade'”, afirmou.

Nesta semana, governadores petistas e aliados pressionaram para que Haddad começasse a fazer atos de rua para se tornar conhecido e, em reunião com esse grupo, ficou decidido que o candidato a vice iniciaria esse périplo pelo Nordeste. Nos próximos dias, ele deve visitar outros Estados da região, como Bahia e Ceará.

(Edição de Eduardo Simões)

Veja também
Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. caaps cursos técnicos

    lula…..meu presidente 2018

  2. João Rinoceronte

    O único que possui força para vencer o PT nessas eleições chama-se Geraldo Alckmin, qualquer outro caminho irá fazer o PT voltar, eu apoio Geraldo Alckmin ele tem apoio em todos os estados!

  3. Alckmin é o melhor candidato disparado! o cara governou SP 4x.. quem conhece SP sabe que é exemplo pro Brasil! não da pra entregar essa eleição pra um aventureiro! Voto Geraldo Alckmin!

  4. Bruno Santana

    Agora vão buscar todos os meios de desabonar Geraldo, eu confio que Alckmin vai se fortalecer e será nosso próximo presidente.

  5. Marcia Candido

    Ainda é muito cedo, a porcentagem de indecisos ainda é alta, além disso Geraldo Alckmin é mais conhecido pelo trabalho desenvolvido em São Paulo. Quando a campanha começar e ele mostrar o seu potencial, os números melhorarão.

  6. João Rinoceronte

    Geraldo Alckmin é a favor do Brasil! Ele sabe o que é preciso para o emprego e a renda voltar!