Eleição terá segundo turno em 17 capitais

O segundo turno ocorre apenas em cidades com mais de 200 mil eleitores onde nenhum candidato obteve 50% mais um dos votos válidos

Dezessete capitais realizarão um segundo turno para eleger um novo prefeito, após indefinição do cenário no domingo, incluindo São Paulo, que teve uma acirrada disputa entre três nomes, e Curitiba, que contrariou pesquisa de boca de urna sobre quem participaria da nova rodada.

Na capital paranaense, Ratinho Junior (PSC) garantiu lugar no segundo turno, com 34,09 por cento dos votos válidos, e disputará o cargo com o candidato Gustavo Fruet (PDT), que obteve 27,22 por cento dos votos válidos.

A briga por um lugar na rodada adicional foi acirrada entre Fruet e o atual prefeito Luciano Ducci (PSB), que obteve 26,77 por cento dos votos válidos.

O resultado contrariou pesquisa de boca de urna do Ibope divulgada no domingo, que apontava um segundo turno entre Ratinho Junior e Ducci.

Em São Paulo, onde a disputa permaneceu indefinida até a véspera da eleição, com três candidatos empatados, José Serra (PSDB) enfrentará o petista Fernando Haddad (PT), deixando de fora Celso Russomanno (PRB), que liderou as pesquisas durante boa parte da disputa.

Serra teve 30,75 por cento dos votos, Haddad ficou com 28,99 por cento e Russomanno obteve 21,60 por cento.

Florianópolis será a outra capital da região sul a retornar às urnas, em três semanas. Cesar Souza Júnior (PSD), que obteve 31,68 por cento dos votos enfrentará Gean Loureiro (PMDB), com 27,37 por cento.

Vitória foi a primeira capital a definir oficialmente a segunda rodada de votações, que será disputada entre os candidatos Luciano Rezende (PPS), que teve 39,14 por cento dos votos e Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB), que ficou com 36,69 por cento.

No Centro-Oeste, duas capitais terão uma nova rodada de votação. Em Cuiabá, Mauro Mendes (PSB) teve 43,96 por cento dos votos, e enfrentará Lúdio (PT), que somou 42,27 por cento.

Já em Campo Grande, Alcides Bernal (PP) somou 40,18 por cento e enfrentará Giroto (PMDB), que teve 27,99 por cento.

Seis capitais votarão de novo no nordeste

Em Salvador, a disputa foi acirrada para definir quem saiu do primeiro turno na frente: ACM Neto (DEM) ficou com 40,17 por cento e Pelegrino (PT) teve 39,73 por cento, e disputarão o segundo turno.


Na capital do Ceará, dois antigos aliados na prefeitura de Fortaleza disputarão o segundo turno: Elmano (PT), que somou 25,44 por cento, enfrentará Roberto Claudio (PSB), que teve 23,32 por cento dos votos.

Os partidos mantinham aliança na prefeitura, mas o PSB lançou um candidato para concorrer contra o PT com o fim do acordo municipal.

São Luís definiu que Edivaldo Holanda Júnior (PTC), com 36,44 por cento dos votos válidos, enfrentará João Castelo (PSDB), com 30,60 por cento dos votos.

Já Teresina terá um novo embate entre Firmino Filho (PSDB), com 38,77 por cento dos votos válidos, e Elmano Férrer (PTB), com 33,14 por cento.

A votação em Natal também só será definida num segundo turno, entre Carlos Eduardo (PDT), que teve 40,42 por cento dos votos, e Hermano Moraes (PMDB), que somou 23,01 por cento.

Outra capital nordestina que retornará às urnas será João Pessoa, numa disputa que repetirá o duelo PT x PSDB. O petista Luciano Cartaxo obteve 38,32 por cento dos votos e enfrentará o tucano Cicero Lucena, que chegou com 20,27 por cento.

Norte também volta às urnas

Cinco capitais do norte realizarão segundo turno. Em Manaus, a disputa será entre Artur Virgílio (PSDB), que obteve 40,55 por cento dos votos, e Vanessa Grazziotin (PCdoB), que teve 19,95 por cento.

Em Belém, o segundo turno será entre Edmilson Rodrigues (PSOL), com 32,58 por cento dos votos válidos, e Zenaldo Coutinho (PSDB), com 30,67 por cento dos votos.

O novo confronto em Macapá será entre Roberto Góes (PDT), com 40,18 por cento dos votos válidos, e Clécio Vieira(PSOL), com 27,89 por cento dos votos.

Porto Velho terá novo embate entre Lindomar Garçon (PV), que chegou com 24,76 por cento dos votos, e Mauro Nazif (PSB), que teve 18,99 por cento.

Em Rio Branco, também haverá um embate entre PT x PSDB: o petista Marcus Alexandre, com 48,30 por cento dos votos, enfrentará o tucano Tião Bocalom, que teve 43,85 por cento.

O segundo turno ocorre apenas em cidades com mais de 200 mil eleitores onde nenhum candidato obteve 50 por cento mais um dos votos válidos, que excluem brancos e nulos.