Eduardo defende que sabatina seja pública porque há “interesse público”

Deputado precisa ser aprovado pelo Senado quando for indicado pelo presidente Jair Boslonaro ao cargo de embaixador do Brasil nos EUA

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) defendeu nesta quinta-feira, 15, que a sabatina a que será submetido pela Comissão de Relações Exteriores do Senado quando for formalmente indicado para a Embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unidos, seja aberta.

A possibilidade de realizar uma sessão fechada está prevista na Constituição, mas o deputado defendeu que “há um interesse público de assistir a essa sabatina”. “Eu acredito que é até um ato democrático você expor, não só para os senadores que vão na sequência votar, mas também para a população brasileira, tudo o que está acontecendo ali dentro”, disse.

Eduardo tem feito um périplo por gabinetes de senadores para angariar apoio à aprovação do seu nome para o cargo. Ele afirmou que a indicação só deverá ser oficializada quando ele obtiver “o máximo de apoio possível”. O deputado também contou que está “esperançoso”.

“As conversas que eu tive são animadoras e acredito que vai dar tudo certo. Certamente a sabatina vai ser um momento crucial, vai ser um momento onde eu vou poder conseguir demonstrar o conhecimento, as habilidades, a minha competência para assumir esse tão importante cargo e, se eu for merecedor do voto dos senadores, chegarei aos Estados Unidos com todo o gás para bem representar os interesses do Brasil”, disse.