Eduardo Campos desembarca em Brasília para afagar Erundina

Presidente nacional do PSB e pré-candidato do PT à prefeitura fazem força-tarefa para convencer a deputada a permanecer como vice de Haddad em SP

PT e PSB montaram uma força-tarefa para tentar convencer a deputada Luiza Erundina (PSB-SP) a se manter na chapa de Fernando Haddad para a prefeitura de São Paulo. Na segunda-feira, a ex-prefeita afirmou ao site de Veja que não aceitará a aliança firmada ontem entre o PT e o deputado Paulo Maluf (PP), adversário histórico dos petistas.

O presidente do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e o vice-presidente socialista, Roberto Amaral, desembarcam em Brasília para uma conversa com a deputada. O encontro será no diretório nacional do partido.

Na quinta-feira passada, Erundina aceitou a indicação de seu partido para concorrer como vice na chapa do candidato do PT. O sim da deputada foi dado a Amaral durante um jantar em São Paulo.

Haddad fez um apelo nesta segunda-feira a Erundina. Ele telefonou para a deputada no início da noite, fez ponderações a respeito da coligação com o PP e pediu para conversar pessoalmente com a deputada. A data do encontro não ficou acertada. Haddad está em São Paulo e Erundina, em Brasília. Durante a conversa pelo telefone, a deputada estava mais calma, mas ainda chateada. Ela mostrou ter se sentido desprestigiada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A deputada não falou a Haddad se permanecerá ou não como vice.

Ainda na noite de ontem, Haddad afirmou que pretende procurar a ex-prefeita para “confortá-lá”. “Vamos conversar para confortá-la, para que esteja conosco na batalha da vitória de mudança necessária na cidade”, disse Haddad, depois de conceder entrevista ao programa Band Eleições, da TV Bandeirantes. O petista disse que é “preciso dar tempo ao tempo”. “Quero ouvi-la pessoalmente. Essas coisas não se conversam por telefone”.