The Economist: para que serve o exército brasileiro?

Revista britânica investiga para que o Brasil tem o 15º maior exército do mundo se não participa de guerras

São Paulo – O Brasil tem o 15º maior exército do mundo e gasta mais com defesa do que o estado de Israel. No entanto, o país não tem inimigos militares há séculos.

Na edição de 6 de julho, a revista britânica The Economist decidiu investigar esse aparente paradoxo do aparelho militar brasileiro.

E descobriu que as forças armadas têm se tornado, cada vez mais, forças policiais comuns. E a crise econômica tem um papel central nesse fenômeno: com os estados sem dinheiro, os governantes têm precisado de mais e mais socorro federal.

Embora apenas 20% dos pedidos de patrulhamento extra sejam atendidos, segundo a reportagem, os soldados do exército passaram em média 100 dias em operações nas cidades, mais do que a média dos nove anos anteriores juntos.

Esse desvio de função, de acordo com a revista, não parece desagradar os brasileiros: os militares foram eleitos como a instituição mais confiável do país, e os soldados são vistos como honestos, gentis e competentes.

Os soldados, por sua vez, tentam se adaptar às novas funções: em um centro de treinamento em Campinas (SP), eles testam bombas de gás lacrimogêneo, por exemplo, para poder usá-las em protestos.

No entanto, usar militares em funções policiais tem seus riscos, segundo a publicação. Para começar: soldados custam mais caro que policiais. O uso de alguns milhares de militares pode sair por mais de um milhão de reais, segundo a revista.

Além disso, a Economist alerta que a confiança irrestrita nas forças armadas é antidemocrática. “As tropas são treinadas para emergências, não para manter a ordem no dia-a-dia. E transformar um recurso emergencial em presença cotidiana pode minar a confiança da população nas instituições civis”, diz a reportagem.

O próprio exército tem outras aspirações. Um rascunho do próximo relatório de defesa fala pouco em “ameaças”, mas muito em “capacidades desejáveis”, diz a Economist.

Um dos focos principais do documento é a proteção das riquezas naturais do Brasil, o que pode se tornar crucial se as previsões pessimistas sobre o aquecimento global se mostrarem corretas.

Veja também
Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. alex francisco

    Avisa aos ingleses, que este exercito ajudou a salvar o pais deles, da Alemanha nazista, e que no solo italiano sangue brasileiro foi derramado.

    1. Mauro Mosczynski

      Menos, menos, dá um aliviada no dedo no teclado. O Brasil participou e ajudou, mas só em 44 quando os Aliados e URSS já estavam virando e a Alemanha perdendo terreno. Se a guerra dependesse do Brasil a história seria outra…

    2. Mais, mais, dê você uma aliviada. Se não fosse a URSS a guerra poderia nem ter começado. Brasil ajudou e fez conquistas importantes, ainda mas se tratando de um país que não teve seu território ameaçado, fez muito mais que devia. Tanto no palco do Atlântico, afundando submarinos, quanto na Itália, expulsando nazistas/fascistas daquele território. “Se a guerra dependesse do Brasil…” Ela nem teria começado, que atritos tínhamos com os alemães?

  2. Marcos Perocco

    Pra que não demitir o pastor e vender os seus cães se há anos nenhum lobo tem coragem de atacar nosso rebanho de ovelhas, não é mesmo???

    1. Rodrigo Ramos

      Excelente comentário!

    2. Pode ser que há anos nenhum lobo tenha tido coragem de atacar nosso rebanho justamente por causa do pastor e seus cães. Basta somente um dia sem o pastor para as ovelhas ficarem a mercê dos lobos.

  3. Denilson Paraguassu

    Basta perguntar ao repórter estrangeiro: você dorme de portas e janelas abertas ?

  4. Henrique Sá

    Por que a não abrem mão do exército deles ao invés de vir encher o saco aqui? Os velhos piratas ingleses…

    1. Mauro Mosczynski

      Eles são os maiores parceiros dos EUA é entraram em quase todos os últimos conflitos militares e o Brasil ficou no seu naniquismo geopolítico. O Reino Unido é membro permanente do Conselho de Segurança da ONU e o Brasil vai ficar de fora deste Conselho até por volta de 2033. Acho que o jornal tem base para escrever a matéria, não?

    2. Uau, o mesmo gigante levou uma surra da Argentina que já mostrava sinais de falência. O Conselho de Segurança nada mas é que um cargo político, se a UK diminuísse sua força pela metade continuaria nele.

    3. A/C Mauro
      Será q não é por isso que ainda não temos ataques terrorista no Brasil? Por não nos metermos/respeitamos a soberania dos outros!?

  5. Jeferson Pereira

    Não sei se é ma fé, ou incompetência mesmo dessa revista britânica, mas o Brasil é o 5 pais em extensão e população, seria meio lógico ter o 5 maior exercito e não o 15. Vão tratar de se livrar da monarqyia sugadora que gasta por ano aproximadamente 50 milhões de libra por ano.

    1. A monarquia britânica leva lucro e não prejuízo ao país. Sugadores você só encontra aqui.

    2. Felipe J. P. Dos Santos

      Porque eles vão acabar com a monarquia? Para colocar um bando de corruptos no lugar e trocar de presidente de quatro em quatro anos? Sabia que a república brasileira custa o dobro da monarquia britânica, nós deveríamos estar preocupados em restaurar a nossa, isso sim. Nossos políticos precisam de um fiscal.

  6. Afonso Henrique da Silva

    Ok. Mas a quem interessaria a redução do “tamanho” das Forças Armadas? Somente aos cofres do Estado?

  7. Marco Otacílio

    Com tantas reservas minerais nosso exército deveria ser o terceiro ou quarto maior do mundo.

  8. Calma gente nessa conta entra a transposição do Rio São Francisco, a duplicação da BR 101, a adequação do aeroporto de guarulhos, o combate à dengue, a assistência aos nossos indígenas da Amazônia, fora os temas de segurança, como na copa e nas olimpíadas. Fazer o que, o nosso exército ainda é o esteio da nação.

  9. José Luiz Trontino (HOBBY AVENTURA)

    Pessoal, atenção no que tá escrito, gasta mais… só isso, esse governo também gasta mais em educação e saúde… porém não aplica melhorias, só gasta…entenderam?

  10. Sergio Squarçado

    Senhores Ingleses e alienados do Brasil que apoiam estes hipócritas, vocês querem cuidar do país dos outros, ficam protegendo reservas ditas indígenas com minério em seu subsolo. É querem que nosso EB aceite isto, como não podem mandar aqui criam estás estória s para difamar aquilo que o Brasil tem de melhor: Seu povo que ama sua nação e a defende com sangue suor e lágrimas. Vai limpar a bunda daquela rainha maldita que explorou o mundo. Esqueçam o nosso país e aos alienados eu pergunto o vc faz pelo se País, vão estudar inúteis!

  11. O que muitos países querem é poder extrair tranquilamente as riquezas naturais do Brasil, sem que nós tenhamos condições de barganhar a micharia que querem pagar como compensação. Sem um exército forte o futuro do Brasil será perder poder sobre a Amazônia.

  12. Monique Oliveira Dos Santos

    Será que é pq somos o 5° maior país em extensão territorial? Muito interessante isso não ser citado na matéria, reportagem totalmente tendenciosa 😏 com cara de pesquisa estrangeira comprada para dar mais credibilidade.. sem falar que só de olhar as matérias feitas por essa jornalista, dá para perceber que é mais uma militante da esquerda

  13. Ronaldo Luis

    Muito esperto esses europeus ladrões acostumados a tomarem os países dos outros querem tomar também o nosso paíseco que já tá tomado de corruptos muitos europeus que moram no Brasil não escolheram o Brasil pra morar não porque gostam do Brasil foi só pra escapar das guerras bando de FDP.

  14. SURVIVOR GAM3S

    Mais vale um guerreiro em um jardim, que um jardineiro em uma guerra

  15. Renato Ferreira Lopes

    A nossa Amazonas é ruim de invadir, os guerras na selva vão se divertir. Esses britânicos de m… Querem alguma coisa do nosso Brasil. Eu me alistaria só para beber o sangue desses invasores.

  16. Livio Luiz Soares de Oliveira

    Essa revista é patrocinada pelos socialistas fabianos ingleses, que querem implantar uma nova ordem mundial, com governo mundial único. Para isso, precisam acabar com as soberanias nacionais, das quais suas forças armadas são esteio. Sem exército, não há como sustentar soberania nacional. O livro O Complô para Aniquilar as Forças Armadas e as Nações da Ibero América explica isso muito bem.

  17. Porto Zouain

    Nosso país é o 5 maior país do mundo, nossas forças armadas são pequenas para o nosso porte, os gastos são baixos, nossos equipamentos clássicos, só não fomos atacados por regimes loucos a mais de um século porque nossos vizinhos tem exércitos menores e equipamentos mais atrasados que os nossos se não teríamos tido muitos mais conflitos, até Evo Morales uma época andou falando que o Acre foi comprado a preço de banana da Bolívia, uma clara frase de quem quer de alguma forma querer reaver território. Nossos vizinhos não são pacíficos só tem medo de nós.

  18. Osmar Serrragem

    Por que o Economist não vai cuidar da vida deles? Quem sabe comprar escadas Magirus para os pobres bombeiros de Londres? Assim o povo lá pode ser salvo em incêndios em prédios…

  19. “Para começar” soldados custam mais barato que policiais. Na segurança da copa do mundo é das olimpíadas, as diárias dos policiais custaram 20 vezes mais do as diárias dos militares, sem contar que o soldo nas FFAA já são menores do os soldos dos policiais na maioria dos estados.

  20. Leonardo Crestani

    É bem possível que o exército de hoje, tenha uma outra orientação, que não a do século passado. Mas como já teve participação atuante em momentos de extrema conturbacao política interna, e obteve excelente resultados, é normal que o nosso cidadão confie e acredite nas nossas FFAA. Infelizmente à esquerda não desiste de tentar nossa cultura extremamente contra o socialismo comunista. É nesses momentos que o nosso cidadão, ainda confia que em momentos como o de agora, podemos mais uma vez contar com a lealdade militar para mais uma vez nos salvar do comunismo.

  21. Ralfo B B Penteado

    Quando os anglo-yankees quase invadiram a Roraima nos idos do gangster Collor, havia um exército para atrapalhar. Atualmente os anglo- yankees mediante malapretagem têm `a sua disposição a maleável constituição brasileira. Talvez seja esta a procedência da questão. De toda forma muita petulancia um questionamento destes e com bobagens, despesa com as forças brasileiras maior que a de Insrael ? Só se a “defesa” israelense é movida a caixa II. Não engolimos a sabotagem de Alcântara onde quarenta de nossos melhores cientistas foram assassinados.