É muita terra para pouco índio, diz Bolsonaro

Presidente afirmou que quer rever demarcação de terras indígenas por suspeita de irregularidades, mas não apresentou evidências sobre isso

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, 30, que quer rever a demarcação de terras indígenas por suspeita de irregularidades. Bolsonaro também disse que índios vendem terras protegidas para estrangeiros explorarem, mas não apresentou evidências sobre isso. “É muita terra para pouco índio, e sem lobby. Qual é o interesse por trás disso?”, questionou.

“A minha decisão é não demarcar mais terra para índios. Aquelas que foram demarcadas de forma irregular, caso tenhamos algo concreto nesse sentido, é buscar a revisão das terras”, disse ao ser questionado se vai rejeitar os quase 500 pedidos que existem para novas demarcações.

Nesta quinta-feira, 29, durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) general Augusto Heleno, disse que demarcações já feitas devem ser revisadas, pois haveria “provas, denúncias” de que houve fraude em terras indígenas. Em seguida, Bolsonaro reiterou que “queremos legalizar garimpo”. Disse ainda que, “se o índio quer (garimpo), vamos atender interesse do índio”.