Dívida da Santa Casa de SP é superior a R$ 773 milhões

Auditoria revelou que a crise financeira na Santa Casa de SP é maior que o anunciado, sendo que a dívida da instituição ultrapassaria R$ 773 milhões

São Paulo – Uma auditoria na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo revelou que a crise financeira na instituição é maior que o anunciado.

Em setembro, averiguação de representantes da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, Ministério da Saúde, Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo e Conselho Estadual de Saúde apontou que a dívida alcançava R$ 433,5 milhões.

A nova auditoria, de responsabilidade da empresa BDO Brazil, indicou que o montante devido pela Santa Casa é superior a R$ 773 milhões.

A maior dívida, relativa à folha de pagamentos de funcionários, ultrapassa R$ 114,2 milhões. Na sequência, os débitos com fornecedores alcançam R$ 104,5 milhões

Entre as irregularidades identificadas pela nova auditoria na administração da instituição, destacam-se pagamentos de bônus com indicadores de preços desfavoráveis, compra de materiais superfaturados, contratações de empresas prestadoras de serviços em condições desfavoráveis, adoção de política de cargos e salários incompatível com sua condição financeira e até subutilização de equipamentos.

Em julho deste ano, a Santa Casa, que é o maior centro de atendimento filantrópico da América Latina, fechou o pronto-socorro, suspendendo as cirurgias eletivas e os exames laboratoriais, afetando aproximadamente 6 mil pessoas.

Um dia após o anúncio do fechamento, a Santa Casa reabriu o pronto-socorro e retomou os atendimentos.

Procurada pela Agência Brasil, a Santa Casa não comentou o resultado da auditoria.