“Distritão” é consenso para 2018, diz senador tucano

O tema vai ser debatido nesta quarta-feira na comissão sobre reforma política instalada na Câmara

Brasília  – O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) afirmou nesta terça-feira, 8, que está se formando consenso em torno da proposta de se adotar o modelo chamado de “distritão” em 2018. Por esse sistema, os candidatos mais votados ao Legislativo são eleitos.

O tema vai ser debatido nesta quarta-feira na comissão sobre reforma política instalada na Câmara. Se o novo modelo for aprovado pelos deputados, ainda terá que ser analisado pelo Senado.

“O sentimento que eu tenho é que os parlamentares devem aprovar o ‘distritão’ para 2018 e o distrital misto a partir de 2022”, disse. A declaração foi dada após participar de um jantar com deputados e senadores para discutir reforma política.

Segundo ele, o próprio relator da comissão, deputado Vicente Cândido (PT-SP), admitiu que o novo sistema vai ser aprovado. Até agora, ele não incluiu o modelo no seu relatório, mas deputados trabalham para convencê-lo a propor o “distritão” na versão final do texto que será apresentada nesta quarta-feira. O PT é contra a proposta.

Fundo. Segundo o senador, ainda há “muita divergência” sobre a criação do fundo público para financiamento de campanha. Pela proposta, será destinado um montante de R$ 3,6 bilhões para os partidos distribuírem aos candidatos.

Ferraço é autor de uma das propostas que já foi aprovada no Senado e agora tramita da Câmara, sobre o fim das coligações proporcionais e a criação de uma cláusula de barreira. Esse outro projeto deve ser analisado pela comissão instalada na Câmara nesta quinta-feira, 10.