Dilma vê “luz no fim do túnel” e pede empenho do Congressso

Dilma mandou um recado aos parlamentares, ressaltando que é importante que deputados e senadores coloquem os interesses do país acima dos partidários e pessoais

São Paulo – A presidente da República, Dilma Rousseff, disse que, a despeito da crise que assola o país, vê “luz no fim do túnel”, mas desde que o Congresso Nacional também faça a sua parte na apreciação dos vetos presidenciais.

“Estou vendo luz no fim do túnel, mas o Congresso Nacional tem de mostrar seu compromisso com o país”, disse Dilma, em entrevista às rádios Metrópole de Salvador e Barreiras, na Bahia, onde cumpre agenda na tarde desta quarta-feira, 7, em cerimônia de entrega de casas do Minha Casa, Minha Vida.

Ao falar da análise dos vetos presidenciais pelo Congresso, Dilma mandou um recado aos parlamentares, ressaltando que é importante que deputados e senadores coloquem os interesses do país acima dos partidários e pessoais.

“É fundamental que os interesses do Brasil sejam preservados”. E voltou a alertar que é impossível, neste momento de crise, o país aumentar desproporcionalmente as suas despesas.

Na terça-feira, 6, por falta de quórum, a sessão conjunta da Câmara e Senado para análise dos vetos foi mais uma vez adiada.

Entre os itens polêmicos está o que veta o reajuste salarial de até 78,56% para os servidores do Judiciário e o veto à correção das aposentadorias e pensões acima de um salário mínimo com ganhos reais.

Dilma fez uma analogia com as donas de casa, dizendo que elas sabem que, nos momentos difíceis, é preciso conter as despesas de suas casas. Apesar do recado aos congressistas, ela disse crer que o Congresso Nacional irá demonstrar este compromisso com o Brasil. A sessão para apreciação dos vetos foi remarcada para a manhã desta quarta-feira.

Golpe

A presidente foi indagada, na entrevista, sobre as pressões que vem recebendo, principalmente de setores da oposição e da sociedade, que defendem seu impeachment ou sua renúncia. “A democracia brasileira é forte o suficiente para prevenir que variantes golpistas tenham espaço no cenário político brasileiro”, respondeu.

Na sua avaliação, é impossível achar que se faz um serviço à democracia, “tentando métodos para encurtar a chegada ao governo, pois o único método reconhecido para se chegar ao governo é o voto direto nas urnas”. E repetiu que o Brasil tem uma democracia robusta e instituições fortes que prezam a liberdade de opinião e expressão.

Desafio

Na entrevista às rádios da Bahia, Dilma disse novamente que o país precisa voltar a crescer, gerar empregos e melhorar suas oportunidades.

“O desafio duplo é reequilibrar o orçamento e manter programas sociais e investimentos”, destacou, informando que hoje estará na Bahia para a entrega de moradias populares.

Apesar de reconhecer que a inflação tem crescido, disse que a tendência é de queda, “fato reconhecido até mesmo pelo mercado”, e que sua gestão tem feito todos os esforços nesse sentido.

A presidente falou também da reforma ministerial que anunciou na sexta-feira passada, destacando que sua gestão tem feito a sua parte no esforço de saída da crise.

A presidente Dilma Rousseff participa nesta quarta-feira de cerimônia de inauguração de unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, no residencial São Francisco, na cidade de Barreiras, na Bahia.

Prevista inicialmente para as 10 horas, a agenda foi transferida para 15 horas.

Confirmaram presença no evento os ministros da Casa Civil, Jaques Wagner, das Cidades, Gilberto Kassab, a presidente da Caixa, Miriam Belchior, e o governador da Bahia em exercício, João Leão, já que o titular Rui Costa está na Europa em viagem de negócios, e o prefeito de Barreiras Antonio Henrique Moreira.