Dilma Rousseff e Cristina Kirchner se encontrarão antes de reunião da Celac

Do encontro em Caracas, surgirá um órgão formado por 33 países, que assumirá o controle do Grupo do Rio e da Cúpula da América Latina e o Caribe (CALC)

Caracas – As presidentes da Argentina e do Brasil, Cristina Fernández de Kirchner e Dilma Rousseff, chegarão nesta quarta e quinta-feira em Caracas, respectivamente, para participarem da Cúpula da Comunidade de Estados da América Latina e o Caribe (Celac), que será realizada de sexta a sábado na capital da Venezuela.

As duas se encontrarão na sexta-feira, antes do início do evento, que será precedido por uma reunião entre ministros das Relações Exteriores dos países participantes.

Do encontro em Caracas, surgirá um órgão formado por 33 países, que assumirá o controle do Grupo do Rio e da Cúpula da América Latina e o Caribe (CALC).

Os Estados Unidos e o Canadá não participam do Celac. Em Caracas, Cristina se encontrará com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

“Sempre temos temas de interesse bilateral, como a transferência de tecnologia e conhecimentos nas áreas industrial, agroalimentar e cultural” disse a embaixadora da Argentina na Venezuela, Ana Alicia de Castro, em 26 de outubro

Essa é a primeira vez que a líder argentina faz uma visita ao exterior desde sua reeleição, em 23 de outubro. Hugo Chávez já afirmou que ela é uma das principais representantes do projeto de união sul-americana.

O chanceler argentino, Héctor Timerman, afirmou há alguns dias que tem grande expectativa pelos resultados da Celac. “Só o fato de termos reunido todos os países da América Latina e do Caribe já é algo que vai entrar para a história”, afirmou.

Em 6 de junho, quando Dilma recebeu Hugo Chávez em Brasília, pouco tempo antes dele ser submetido a uma cirurgia que retirou um tumor, a governante afirmou que o Brasil apoiará qualquer iniciativa que promova a paz e a democracia na região.

“Brasil e Venezuela têm a intenção de fazer da América do Sul um espaço de paz, democracia, desenvolvimento e respeito aos direitos humanos”, declarou Dilma na ocasião.

Durante a cúpula da Celac, será realizada também uma reunião dos líderes da União de Nações Sul-Americanas (Unasul).