Dilma chama Marcelo Odebrecht de “mentiroso” sobre depoimento

Em texto divulgado por sua assessoria, ex-presidente rebateu as declarações feitas por Marcelo Odebrecht à Corregedoria da Justiça Eleitoral

Brasília — A ex-presidente Dilma Rousseff negou, em nota, que tenha pedido doações de campanha ou autorizado o uso de caixa 2, como afirmou em seu depoimento à Corregedoria da Justiça Eleitoral, na quarta-feira, o empresário Marcelo Odebrecht.

No texto, distribuído por sua assessoria nesta quinta-feira, Dilma afirma que “a insistência em impor à ex-presidenta uma conduta suspeita ou lesiva à democracia ou ao processo eleitoral é um insulto à sua honestidade e um despropósito a quem quer conhecer a verdade sobre os fatos”.

No depoimento, feito por Odebrecht no processo que pode levar à cassação da chapa Dilma Rousseff/Michel Temer, eleita em 2014, o empresário afirma que negociou primeiro com o ex-ministro Antonio Palocci –preso pela operação Lava Jato– e depois com o ex-ministro Guido Mantega uma contrapartida pela aprovação de uma medida provisória em 2009 que beneficiaria o grupo.

O empresário disse ainda que, a pedido do ex-ministro, teria organizado doações de outros empresários à campanha.

Os recursos não foram usados na campanha de 2010, segundo Odebrecht, e ficaram como crédito. Depois disso, o empresário ainda negociou uma “doação espontânea” por caixa 2 que, somados aos recursos anteriores, chegaria a 300 milhões de reais. Odebrecht afirmou ainda que, por conta desse crédito, Mantega teria pedido que ele então pagasse uma dívida de campanha com o publicitário João Santana, em um valor entre 20 e 40 milhões de reais.

Na nota, Dilma afirma que é “mentirosa” a afirmação de que teria pedido recursos a Odebrecht ou a outros empresários ou que tenha “autorizado pagamentos a prestadores de serviços fora do país, ou por meio de caixa dois, durante as campanhas presidenciais de 2010 e 2014”.

Dilma nega, também, que tenha indicado Mantega como seu representante para arrecadação financeira e que as campanhas tinham tesoureiros registrados.

“Por fim, cabe reiterar que todas as doações às campanhas de Dilma Rousseff foram feitas de acordo com a legislação, tendo as duas prestações de contas sido aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral”, diz o texto.

Também por conta do depoimento de quarta-feira, um dos advogados de Temer no processo afirmou que as declarações de Odebrecht são “basicamente o que estava na delação” premiada do executivo e que é cedo para ter um posicionamento da estratégia de defesa.

No Palácio do Planalto, as declarações de Odebrecht foram vistas com alívio, já que o empresário confirmou o jantar com Temer no Palácio do Jaburu, mas informou que foi uma conversa “genérica” sobre contribuição e não se falou de valores.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. jeadnkd ffieiqmd

    Todo mundo sabe que a tortura premiada do Marcelo impõe que ele acabe com o PT e proteja os restantes dos bandidos hoje no poder, esses depoimentos são puros acordos em compra da liberdade. Temer de santinho é ótimo.

  2. Leandro Ruckl

    todo mundo sabe, que quem defende o PT , ta”mamando na teta do PT”, ou é burro. da mesma foram eu digo isso para todos os partidos. NINGUÉM SE SALVA, eu acho que é muito complicado para certas pessoas entender isso, eu acho que se der um texto, para essas pessoas interpretarem, não vão conseguir fazer nada, pois infelizmente são burros. Entendam que com essa roubalheira de todos os partidos, quem paga o pato somos nós, VC NÃO VAI GANHAR NADA POR DEFENDER ELES (PT, PMDB,PCDB , … ENFIM TODOS), ELES SEMPRE GANHAM, VC NAO!