Dilma fará renovação antecipada de contrato de terminal

De acordo com a Secretaria Especial de Portos, a TCP já estava implantando um programa de modernização com investimentos de R$ 183 milhões

Brasília – A presidente da República, Dilma Rousseff, assina nesta tarde de quarta-feira, 13, a renovação antecipada do contrato do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), no Paraná, estendendo até 2048 a concessão que se encerraria em 2023.

Como contrapartida, a TCP irá investir R$ 1,1 bilhão na área.

De acordo com a Secretaria Especial de Portos (SEP), a TCP já estava implantando um programa de modernização da unidade com investimentos de R$ 183 milhões entre 2014 e 2016.

Agora, esse programa será ampliado em mais R$ 360 milhões para a ampliação do terminal.

Além disso, o novo contrato prevê investimentos de R$ 548,54 milhões para o período ente 2024 e 2048 para a atualização da infraestrutura do terminal.

Esse segundo montante não será fiscalizado pela SEP, mas sim pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

O novo contrato prevê a expansão do terminal de contêineres para uma área de 487 mil metros quadrados, incluindo a construção de um novo cais público de 220 metros de extensão, capaz de movimentar simultaneamente quatro contêineres de seis metros de comprimento ou dois contêineres de 12 metros. Ao todo, o TCP terá 1.099 metros de cais público no local.

Com a ampliação, o terminal terá uma capacidade anual de movimentação equivalente a 2,177 milhões de contêineres. De acordo com a SEP, esse volume significa 1 milhão a mais de contêineres movimentados por ano em Paranaguá.

O governo estima que a prorrogação do contrato irá gerar R$ 1,8 bilhão em outorgas auferidas à Administração dos Portos e Antonina e Paranaguá até 2048.

A SEP informou ainda que investimentos no TCP fazem parte dos R$ 51,28 bilhões de aportes previstos ao setor portuário até 2042.