Dilma enfrenta manifestação de estudantes no Rio

Estudantes ligados à União da Juventude Socialista e à União Nacional dos Estudantes começou a gritar palavras de ordem no começo do discurso da presidente

Rio de Janeiro – Um grande tumulto atrapalhou a festa de inauguração de novas unidades habitacionais do programa “Minha Casa, Minha Vida” no Rio, onde estão presentes a presidente Dilma Rousseff, o governador do Rio, Sergio Cabral, e o prefeito Eduardo Paes, que nesta sexta-feira encerra uma maratona de inaugurações antes da campanha eleitoral.

A confusão começou quando um grupo de estudantes ligados à União da Juventude Socialista (UJS) e à União Nacional dos Estudantes (UNE) começou a gritar palavras de ordem justamente no início do discurso de Dilma. Os manifestantes foram afastados pelos seguranças e alguns chegaram a ser agredidos.

Os moradores da região de Triagem, na zona norte, e os beneficiários do programa habitacional se revoltaram contra os jovens e os expulsaram do local da festa. “Fora, fora”, gritavam os moradores.

Os alunos pediam a destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação. “Fomos agredidos. Eu levei um soco na cara. E nós estamos aqui para defender a educação”, disse Leonardo Guimarães, de 19 anos, aluno de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A solenidade de entrega das chaves foi encerrada logo depois do discurso da presidente, sem que o prefeito discursasse. Embora fosse um evento oficial da Prefeitura, a inauguração acontece no primeiro dia da campanha eleitoral municipal.