Dilma e Obama chegam sozinhos e atrasados a jantar do G20

As relações entre Brasil e Estados Unidos foram afetadas pelas recentes revelações da imprensa segundo as quais a presidente brasileira foi alvo de espionagem

O presidente americano, Barack Obama, e a presidente Dilma Rousseff chegaram sozinhos nesta quinta-feira ao jantar oficial do G20, e muito atrasados em comparação com os demais chefes de Estado e de Governo.

Obama caminhava sozinho por volta das 17h50 GMT (14h50 de Brasília), cerca de meia-hora após o restante dos convidados, pela avenida que leva ao palácio de Peterhof.

Pouco antes foi a vez de Dilma passar pelo local, também atrasada em comparação com os demais.

As relações entre Brasil e Estados Unidos foram afetadas pelas recentes revelações da imprensa segundo as quais a presidente brasileira foi alvo de espionagem.

O Brasil pediu a Washington uma explicação formal por escrito destas denúncias.

O porta-voz da delegação brasileira no G20 não confirmou à AFP se esse atraso se deveu a uma reunião bilateral entre os dois presidentes.

A presidente brasileira adiou a viagem que uma comitiva deveria fazer neste sábado aos Estados Unidos para preparar sua visita de Estado a Washington no dia 23 de outubro, confirmou à AFP um porta-voz da chancelaria.

Por volta das 17h20 GMT (14h20 de Brasília), a maioria dos convidados para o jantar concedido pelo presidente russo, Vladimir Putin, já estavam no imponente edifício, ricamente iluminado para a ocasião.

Nas imagens da televisão foi possível ver, por exemplo, a presidente argentina, Cristina Kirchner, conversando com o anfitrião, ou o presidente francês, François Hollande, conversando com o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e com a chanceler alemã, Angela Merkel.

A crise da Síria, que provocou divisões entre os Estados Unidos e a Rússia, toma conta deste G20, deixando em segundo plano a agenda oficial deste encontro dos principais países desenvolvidos e emergentes.

Putin anunciou que o tema seria abordado durante o jantar.