Dilma diz que proposta econômica de Marina é gravíssima

Dilma disse que é 'gravíssimo' que uma das propostas de Marina Silva seja eliminar os subsídios estatais à atividade econômica

Brasília – A presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff qualificou neste sábado de ‘gravíssimo’ que uma das propostas de sua principal rival, a ambientalista Marina Silva, seja eliminar os subsídios estatais à atividade econômica.

‘São propostas aventureiras, obscurantistas e atrasadas, que são parte de uma oferta que parece avançada, mas é profundamente demagógica e que, sobretudo, não se sabe a que interesses servem’, declarou Dilma em um ato de campanha com prefeitos do Partido dos Trabalhadores (PT).

No plano de governo apresentado ao eleitorado ontem, a candidata Marina Silva, que venceria Dilma em um possível segundo turno, de acordo com as últimas pesquisas eleitorais, propõe limitar os créditos preferenciais que os bancos estatais oferecem para o investimento privado em diversas áreas.

No entanto, de acordo com Dilma, esses ‘subsídios’ favorecem planos de construção de casas populares, obras de infraestrutura em transporte e em outras áreas, assim como vastos programas de agricultura familiar que ‘simplesmente acabarão’ sem esse apoio estatal.

‘Sem BNDES, acabam todos os programas’, sustentou Dilma, que completou: ‘Se a proposta é reduzir o subsídio, temos que perguntar a esses candidatos: Vão manter o Minha Casa Minha Vida? Vão manter os investimentos federais como monotrilho, VLT, rodoanel?’, questionou a presidente citando projetos com apoio de financiamento federal.

Além da questão dos subsídios, Dilma também criticou a intenção da candidata do PSB de não dar prioridade à exploração das reservas de petróleo e gás do pré-sal, descobertas em águas profundas do oceano Atlântico pela Petrobras.

Se for colocado em prática o programa de candidatos assim, não só a Petrobras perderá importância, mas se restringirá a ação de todo os bancos públicos, que, segundo Dilma, foi uma das armas de seu governo frente à crise global.

Assim como seu vice-presidente, Michel Temer, a presidente também condenou a ideia de Marina Silva de governar com ‘os melhores’ de todos os partidos políticos, mas não com as próprias formações.

‘Em uma democracia, quem não governa com os partidos flerta com o autoritarismo’, afirmou Dilma, que hoje participou de um ato de campanha na cidade de Jales, em São Paulo, o qual abriu as chamadas ‘caravanas do PT’, que mobilizarão milhares de militantes durante este fim de semana.

As caravanas de automóveis percorrerão principalmente as cidades com uma população inferior aos 30 mil habitantes, que, segundo o secretário nacional de Relações Institucionais do PT, Romenio Pereira, são as que mais se beneficiaram com os planos sociais do governo Dilma. EFE