Dilma diz que o pré-sal abre oportunidade histórica

Presidente discursou em ato que se lembrou a marca de mais de 500 mil barris diários produzidos desta forma

Rio de Janeiro – As reservas petrolíferas do pré-sal abrem “uma oportunidade histórica” para o desenvolvimento do Brasil em todas as áreas, afirmou nesta terça-feira a presidente Dilma Rousseff em um ato em que se lembrou a marca de mais de 500 mil barris diários produzidos desta forma.

“Com o pré-sal temos uma oportunidade histórica sem precedentes tanto na área social como na econômica”, afirmou ela em ato organizado no Rio de Janeiro pela Petrobras.

A Petrobras, com o início da operação de um novo poço no pré-sal, alcançou em 24 de junho uma produção recorde de 520 mil barris diários na área. Essa marca foi atingida só oito anos depois do primeiro achado de petróleo no pré-sal, em 2006, e com apenas 25 poços em operação.

A empresa destacou em comunicado, a título de comparação, que precisou 31 anos desde sua fundação, em 1953, para alcançar uma produção diária de 500 mil barris e que para obter esse volume foi necessário perfurar 4.108 poços. Segundo o comunicado, as empresas que operam no Golfo do México precisaram de 20 anos para conseguir a marca de 500 mil barris diários e as que exploram no Mar do Norte necessitaram de dez anos.

A produção do pré-sal já representa 22% de todo o petróleo extraído pela Petrobras. Dilma garantiu que conseguir esse volume de produção em oito anos representa uma ‘façanha’ e acrescentou que as reservas do pré-sal representam uma ‘riqueza inigualável’ para o país.

A governante disse que, além de impulsionar a economia, as reservas multiplicarão os investimentos do país em saúde e educação graças à lei que determina que os royalties do petróleo sejam destinados exclusivamente a estes setores.

Ela lembrou igualmente a lei que destina as riquezas do pré-sal a um fundo de desenvolvimento e que impede que os recursos sejam desperdiçados, assim como a lei que determina que 60% dos equipamentos utilizados na exploração das reservas sejam de origem brasileira, o que impulsiona a indústria nacional.

Segundo Petrobras, o pré-sal responderá por 50% dos 4,2 milhões de barris que a empresa prevê produzir em 2020.