Dilma afirma que nessa eleição há muito ódio e mentira

"Tem muito ódio e mentira nessa eleição. Quando vocês virem mentiras, respondam com a verdade", afirmou a presidente, para um grupo de militantes

São Paulo – A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, reafirmou nesta quarta-feira, 17, em comício no centro de Campinas, no interior de São Paulo, que a verdade vencerá a mentira nessas eleições.

“Tem muito ódio e mentira nessa eleição. Quando vocês virem mentiras, respondam com a verdade”, afirmou, para um grupo de militantes.

De acordo com Dilma, a verdade é “uma só”: que o Brasil melhorou nos 12 anos de governos do PT.

“Tem gente que só fala e não tem o que apresentar. Nós temos”, disse, destacando projetos da administração federal, como o Minha Casa, Minha Vida (MCMV) e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Ao receber uma mensagem escrita por uma criança que estava na plateia, a presidente disse que ganhava um “bilhete do futuro”.

“É para eles e para elas que nós governamos este país.”

Um pouco antes da fala, Dilma fez uma pequena caminhada pelo centro da cidade e cumprimentou eleitores.

Acompanharam a presidente o coordenador estadual da campanha e prefeito de São Bernardo do Campo, no Grande ABC (SP), Luiz Marinho (PT), o presidente estadual do partido, Emídio de Souza, e o economista Márcio Pochmann.

O candidato a governador Alexandre Padilha (PT) não compareceu e foi representado pelo candidato a vice-governador Nivaldo Santana (PC do B).

Padilha dava uma entrevista ao telejornal SPTV 1ª Edição, na Rede Globo, na capital paulista.

Coube a Marinho fazer as críticas mais diretas aos adversários de Dilma. Segundo ele, o que está em jogo nestas eleições é a visão de projetos diferentes para o Brasil.

Marinho afirmou que uma das outras propostas de uma gestão que “conhecemos bem, é do governo do desemprego”, referindo-se, indiretamente, ao candidato a presidente Aécio Neves (PSDB).

“A outra, que conhecemos de longa data, podemos dizer que de é uma amiga pessoal que se equivocou num período e abandonou o barco”, afirmou, referindo-se a, de forma indireta, à candidata Marina Silva (PSB).

O coordenador estadual da campanha de Dilma e prefeito de São Bernardo do Campo citou as proposições de Marina de independência do Banco Central (BC) e “enfraquecimento” dos bancos públicos.

Segundo ele, esses projetos resultarão em desemprego. “(Ela) representa a visão dos banqueiros.” Marinho disse ainda acreditar que “se fizermos a lição de casa, é possível resolver esta eleição no primeiro turno”.