Desmate cai 18% na Amazônia, diz governo

Área onde houve remoção completa da cobertura vegetal passou de 5.891 para 4.848 km²

São Paulo – A área desmatada na Amazônia Legal diminuiu 18% em um ano, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgados nesta quarta-feira, 26.

O mapeamento compara a medição feita em agosto de 2012 a julho de 2013 à do período seguinte, de agosto de 2013 a julho de 2014.

De acordo com o Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes), a área onde houve remoção completa da cobertura vegetal passou de 5.891 para 4.848 km².

O diretor do Departamento de Políticas de Combate ao Desmatamento do Ministério do Meio Ambiente, Francisco Oliveira, atribuiu o bom resultado ao aperto na fiscalização e ao desenvolvimento de programas ambientais e sociais.

“Vamos continuar perseguindo a meta de reduzir a área de desmatamento a 3.925 km² até 2020.”

Outro fator, segundo ele, é a conscientização do mercado agropecuário internacional. “As empresas não querem que a marca seja associada à devastação da Floresta Amazônica.”

O levamento mensal feito pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), mostrou que houve aumento de 467% no desmatamento da Amazônia Legal em outubro em relação ao mês anterior.

De acordo com Oliveira, a enorme diferença nos resultados ocorre por causa de uma divergência metodológica.

O Prodes classifica como desmatadas áreas maiores do que 6,25 hectares onde haja o corte raso da vegetação nativa. Por meio de imagens de satélites, o Inpe faz o cálculo da taxa anual de desmatamento.

Segundo Oliveira, a avaliação da Imazon usa imagens de satélites menos precisas, que só enxergam áreas a partir de 25 hectares. Os relatórios da ONG são comparativos mensais divulgados no site da instituição.

Regeneração

A Amazônia teve cerca de 113 mil km2 de florestas regeneradas entre 2008 e 2012 – uma área duas vezes e meia maior do que o total desmatado na região no mesmo período, que foi de 44 mil km2.

Os dados são do projeto TerraClass, que mapeia o uso das terras desflorestadas na região amazônica.

Coordenado pelo Inpe e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, o projeto teve os resultados de 2012 divulgados ontem, em Brasília. O TerraClass mapeou 751 mil km2, o que corresponde ao total do desmatamento de 1988 a 2012.