Deslizamento soterra casas e mata três na Bahia

Um temporal atingiu Salvador durante toda a madrugada e parte da manhã desde domingo

Salvador – O temporal que atingiu Salvador durante toda a madrugada e parte da manhã desde domingo, 10, causou três mortes, após um deslizamento na Rua Coronel Pedro Ferrão, nas proximidades da Rua Nilo Peçanha, em uma área pobre conhecida como Baixa do Fiscal, na Cidade Baixa.

Um jovem de 14 anos ficou soterrado por oito horas, mas foi resgatado com vida.

A chuva fez a terra soterrar cinco casas em uma encosta da Baixa do Fiscal. As vítimas foram identificadas como Delci Barreto Venas, de 64 anos; Sandra Santos, de 34; e Sival Silva Santana, de 28 anos, segundo a Defesa Civil.

Sandra e Sival são irmãos. Dessa forma, já são 18 os mortos pelas chuvas na capital baiana em duas semanas.

Lucas Silva Santana, de 14 anos, filho de Sandra, ficou soterrado e, após oito horas de buscas da equipe do Corpo de Bombeiros, acabou resgatado.

Ele estava consciente e foi encaminhado para o Hospital Geral do Subúrbio. Outras cinco pessoas foram resgatadas com vida na mesma área. Os bombeiros encerraram as buscas ainda na noite de ontem.

A Defesa Civil registrou mais de 150 ocorrências até 17 horas e estava de plantão. O prefeito ACM Neto (DEM) convocou reunião com secretários à noite para avaliar a situação.

No dia 27, 11 pessoas morreram em um deslizamento de terra na comunidade do Barro Branco e outras 4 no Marotinho, bairro do Bom Juá. A Defesa Civil da cidade mantém alerta, por causa da previsão de mais chuvas na cidade no início desta semana.

São Paulo

Tanto a capital paulista quanto o interior do Estado também registraram problemas com a chuva. Em Pirajuí, uma casa desabou e os escombros soterraram uma mulher grávida.

Ela foi resgatada pelos bombeiros com ferimentos e levada para a Santa Casa da cidade. Até o início da noite não havia informações sobre o estado de saúde da vítima.

O temporal, com ventos de até 60 quilômetros por hora, segundo o Instituto de Pesquisas Meteorológicas (IPMet), ainda causou a queda de 25 árvores em vários bairros de Bauru.

O trânsito chegou a ser interrompido por alagamentos na Rodovia Marechal Rondon. Em Jaú, árvores derrubadas pelo vento atingiram veículos e interditaram ruas e estradas. O telhado de um galpão foi arrancado.

Já na capital paulista todas as regiões entraram em atenção no meio da tarde, embora o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura não tenha registrado nenhum ponto de alagamento.

O estado de atenção terminou por volta das 19h30. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.