Desigualdade em queda

A recessão econômica brasileira e o aumento da concentração de renda no mundo não impediram que o país continuasse reduzindo suas desigualdades. Nesta sexta-feira, o IBGE divulgou a Síntese de Indicadores Sociais 2016, pesquisa que analisa as condições de vida da população brasileira. Em 2015, o índice de Gini, referência para medida de desigualdade no mundo, ficou em 0,491. Uma leve melhora em relação a 2014, quando o índice foi de 0,497, e um avanço de 11,4% na comparação com 2004. Dentre as regiões, a que mais conseguiu reduzir as diferenças entre as classes sociais foi o Sul, enquanto que o Norte foi a região que menos evoluiu. O Centro-Oeste segue como a região mais desigual do Brasil. Confira, abaixo, a consistência da redução da desigualdade no país.